siga-nos | seja fã
PUB
 

Como calar um fofoqueiro?

Como calar um fofoqueiro?
Imprimir Partilhar por email
30-06-2015 - 11:01
Há pessoas com caraterísticas distintas, tal como há quem se exceda verbalmente por captar a atenção dos outros sem olhar a meios para o fazer.
 
No topo das pessoas “chatas”, “incomodativas” e que prejudicam o bom funcionamento de um grupo estão os fofoqueiros. Este tipo de pessoas faz um uso excessivo e abusivo da palavra e fala até que a “voz lhe doa”, já que o assunto não se esgota! Enquanto sentir que alguém o ouve, o fofoqueiro continua a manter-se “ligado à corrente” e a debitar informação mais ou menos verdadeira, mais ou menos justa, mais ou menos real.
 
Na posição dos psicólogos, o fofoqueiro é alguém que quer ter atenção a todo o custo, que procura aceitação e que é capaz de inventar as mais credíveis mentiras para manter um estatuto de liderança num grupo. Mente mais do que acerta, inventa mais do que existe e, na maioria dos casos, acaba por colocar o grupo em conflito, já que não mede as consequências das suas palavras e acaba por revelar segredos ou inventar cenários para se manter líder de conversa.
 
Naturalmente este tipo de pessoas não é aceite por muito tempo num grupo, uma vez que, rapidamente se “chega á verdade” e se “desmascara” o fofoqueiro, no entanto, nem sempre é assim e, há conflitos graves entre amigos devido à manipulação de quem quer ter o comando da conversa no grupo.
 
É comum o afastanento e a constante procura de novos interlocutores por parte do fofoqueiro, daí não conseguir manter amizades, muito menos encontrar um estado de harmonia com os outros, pois se há quem goste desse tipo de conversas, há quem não suporte a “conversa fiada” e sem fundamento ou riqueza inteletual.
 
Como não temos de nos sujeitar ao que não nos faz felizes, temos o direito de nos afastar, mas também de dizer ao fofoqueiro que está a incomodar. Nesse sentido, é bom mostrar a quem fala excessivamente que o está a fazer e a incomodar. É positivo interromper quem fala sem parar e dar um novo sentido à conversa. É fundamental manifestar outras opiniões, realçar os objetivos do grupo e dizer ao fofoqueiro que todos têm direito à sua opinião, pelo que, cada um falará por sua vez.
 
Apresentadas alternativas a quem é tagarela e não se cala, qualquer elemento do grupo pode exigir esse direito de palavra (desde que não faça o mesmo!) e mostrar claramente ao fofoqueiro que não vão admitir esse tipo de postura no grupo. Para o ajudar, não se pode facilitar! É importante “não cair na tentação” de ouvir as primeiras fofocas, sob pena de ter de ouvir as restantes á força. Um fofoqueiro cala-se quando ninguém se interessa pelos seus assuntos, pelo que esta é a melhor ajuda que se lhe pode transmitir.
 
Caso não resulte, o convite á saída do grupo será sempre a melhor opção.
 
Os psicólogos alertam que, a permanente necessidade de ser o centro das atenções e de dominar as conversas, leva o tagarela a inventar histórias, a mentir compulsivamente para ter novidades e, muitas vezes, a falar do que desconhece como se de verdades absolutas se tratasse. Se a pessoa não aceita ser ajudada terá mesmo de ficar com as suas teorias e procurar outro grupo até que seja novamente descoberta. Note-se que, os fofoqueiros geram conflitos, discussões que podem ser violentas num grupo seja de família ou amigos e, por norma, saltam sem uma justificação quando “se sentem apertados”. Têm plena consciência das suas mentiras, mas não conseguem parar de falar, de revelar segredos que lhes foram confidenciados e, inclusive, contradizem-se com frequência. Nem sempre são desmascarados com a necessária rapidez, pelo que deixam muito “rasto de destruição” num grupo, pelo que é preciso estar atento.
 
Se tem um fofoqueiro no seu grupo de amigos ou família, mantenha-o sob vigilância, pois mais cedo ou mais tarde, os problemas vão surgir, bem como conflitos sem fundamento entre os seus elementos. Ás vezes, mais vale cortar o mal pela raiz, já que o fofoqueiro tem dentro de si uma necessidade permanente de chegar, de dominar a conversa e de se manter na liderança dos assuntos a qualquer preço. Claro está que, ninguém possui tanta informação para transmitir, pelo que, se inventa. 
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Aprenda a proteger-se dos “vampiros emocionais”!



-

Quando a ansiedade nos atrapalha os planos  



-

Mindfulness:Treino e principais benefícios



-

Diferenças entre empatia e contágio emocional



-

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional



PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Chuva poderá chegar ao Algarve esta semana

Chuva poderá chegar ao Algarve esta semana

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Pela quinta vez Castro Marim distingue-se como "Autarquia + Familiarmente Responsável"

Pela quinta vez Castro Marim distingue-se como "Autarquia + Familiarmente Responsável"

ver mais
 
1ª edição do Luza Festival em Loulé promete ser referência internacional

1ª edição do Luza Festival em Loulé promete ser referência internacional

ver mais
 
Vila Real de Stº António volta a estar em destaque no desporto

Vila Real de Stº António volta a estar em destaque no desporto

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio