siga-nos | seja fã
PUB
 

Devemos ou não consumir leite?

Devemos ou não consumir leite?
Imprimir Partilhar por email
22-01-2015 - 16:08
A questão tem suscitado muita controvérsia na comunidade científica internacional, sobretudo devido aos trabalhos mais recentes que, colocam o leite como um ingrediente dispensável na alimentação humana.
 
As opiniões dividem-se, mas o fundamento científico baseia-se na teoria de que o leite de vaca é uma fonte de mau colesterol e que não é a única fomte de cálcio de que dispomos na actualidade. Ao mesmo tempo, o leite de vaca não é uma fonte de cálcio suficiente para prevenir a osteoporose, pelo que «ganha terreno» quem defende que, existem melhores alimentos que o leite de vaca para a saúde.
 
Na posição de muitos entendidos, a quantidade de leite que se consome também faz toda a diferença, sem esquecer que, nos tempos actuais, o leite de origem animal não assume a mesma importância no combate de doenças e na subnutrição, na medida em que existem outros complementos alimentares, com propriedades mais benéficas para o organismo e com menos pontos negativos.
 
Muitos especialistas defendem que, as crianças devem beber leite, não os adultos, isto porque o organismo perde, com os anos, a capacidade de processar a lactase. Neste sentido, pode existir uma acumulação de ácidos que prejudicam o organismo e desencadeiam doenças. Outras posições acreditam que, quando não existe uma reação negativa, um copo de leite por dia num adulto, não causa prejuízos.
 
Efectivamente há posições para todos os gostos e, estamos longe de chegar à verdade, até porque, a maioria da população tem uma relação afectiva com o leite. Todos sabem que, nos anos mais difíceis da nossa história recente, o leite foi o ingrediente «milagroso» na prevenção e combate de muitas doenças e que matou a fome de muita gente. 
 
Ao mesmo tempo, o leite está associado à terapêutica caseira para a gripe, para as constipações, para o cansaço físico, para tranquilizar e daí por diante. Como se pode mudar esta forma de pensar? 
 
De todo que só com motivos para abandonar o hábito de consumir leite e, provavelmente não serão as alternativas disponíveis no mercado que vão facilitar a tarefa, uma vez que, voluntariamente passar a consumir bebida de soja, não é para todos, muito menos abdicar do «galão» nos dias frios e do «garoto» quando não apetece um chá a meio da tarde.
 
O consumo de leite está mais enraizado do que comprovados os seus benefícios neste tempo, pelo menos esta é a posição dos investigadores que até questionam se este deve fazer parte da roda dos alimentos.
 
Há estudos que associam o consumo de leite animal ao aumento dos casos de cancro, em especial da mama, ovários e próstata, enquanto que outras posições dizem não haver provas consistentes nesse sentido e que, provavelmente não será só o leite o alimento responsável pelas muitas doenças deste nosso tempo.
 
Importa reter que, contrariamente ao passado, o leite não é um alimento indispensável, pelo que, quem não gosta deste produto não tem de o ingerir «só para ter mais saúde», já que isso não está provado. Os bróculos são uma fonte de cálcio mais saudável e poderosa que o leite. A bebida de soja pode disfarçar o hábito de consumir leite sem os pontos negativos ao nível das proteínas e gordura, o iogurte e o queijo magros, na posição de muitos especialistas são uma alternativa mais positiva. Também o leite magro pode ser agradável, desde que consumido com moderação, não ultrapassando o copo por dia quando não há restrições médicas.
 
No fundo, o que importa reter é que, há estudos «para todos os gostos», pois tal como a sardinha passou de «parente pobre» a rainha do pescado, o azeite é o ouro à mesa, o leite passou de líder a interrogado. Neste momento, os especialistas tentam compreender a relação entre o que se consome com o aumento e variedade de doenças que conhecemos, sendo que, o leite não «passou no teste» de alimento equilibrado e saudável para toda a vida, o que é natural, pois nunca havia sido questionado nesta dimensão, não existiam estudos capazes de colocar em causa o potencial do leite de oriegam animal, muito menos coragem para assumir que, afinal o leite pode não ser a base de uma alimentação saudável e equilibrada.
 
Os chineses e os japoneses já fizeram a sua opção e, com ela talvez o despertar de outras culturas…
 
Certamente que este tema tem suscitado muita curiosidade e apreensão por parte dos consumidores que não sabem como lidar com os dados que se divulgam na comunicação social, pelo que, na dúvida, beba menos quantidade de leite do que a habitual, pois segundo os especialistas, não lhe vai fazer falta! Se encontrar prejuízos no consumo, não beba leite, se se sentir bem, não abuse para evitar problemas de saúde no futuro. A atitude moderada e sem fundamentalismos é sempre a postura mais correcta, por isso, encare o leite à sua medida, sem medos e sempre a tentar saber mais sobre o seu consumo.
 
AP
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Baixa Inteligência Emocional afeta a qualidade das relações



-

Não se desculpe por dizer a verdade!



-

O que queremos, acontece!



-

Faça um teste à sua maturidade emocional



-

Descubra “o poder curativo” da praia



PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Chuva poderá chegar ao Algarve esta semana

Chuva poderá chegar ao Algarve esta semana

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Pela quinta vez Castro Marim distingue-se como "Autarquia + Familiarmente Responsável"

Pela quinta vez Castro Marim distingue-se como "Autarquia + Familiarmente Responsável"

ver mais
 
1ª edição do Luza Festival em Loulé promete ser referência internacional

1ª edição do Luza Festival em Loulé promete ser referência internacional

ver mais
 
Vila Real de Stº António volta a estar em destaque no desporto

Vila Real de Stº António volta a estar em destaque no desporto

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio