Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 

Bloco de Esquerda questiona Ministro sobre "abate indiscriminado" de árvores no Ancão

 Bloco de Esquerda questiona Ministro sobre "abate indiscriminado" de árvores no Ancão
Imprimir Partilhar por email
18-05-2020 - 08:37
O Bloco de Esquerda considera ser "de grande gravidade" o que ocorreu na zona de proteção parcial do Parque Natural da Ria Formosa, junto à praia do Ancão.
 
Em causa está uma área de pinhal que foi alvo de "abate indiscriminado" de árvores saudáveis de grande porte e intervenção no solo que provocou a destruição de habitats de espécies protegidas. A destruição terá sido provocada, segundo adianta o BE em comunicado, pelo proprietário do terreno ao abrigo das medidas de defesa contra incêndios.
 
A zona protegida, com uma área estimada de cerca de cinco hectares, está situada junto à praia do Ancão, na freguesia de Almancil, concelho de Loulé. A zona é conhecida por albergar várias espécies protegidas, entre as quais uma espécie endémica e de elevado risco de extinção – a tuberaria, vulgarmente conhecido por alcar-do-algarve –, cuja distribuição mundial está circunscrita a apenas algumas áreas no Algarve, regista o Bloco.
 
Em resposta a uma denúncia de um munícipe, o BE refere que a Câmara Municipal de Loulé terá comunicado que, "após averiguada a situação pelos seus serviços de fiscalização, a intervenção naquele local estaria licenciada pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), tendo o município arquivado o processo de denúncia".
 
O Bloco entende que é "urgente apurar responsabilidades, atuar nos termos da lei e garantir que situações semelhantes não voltam a ocorrer". Aponta também que é necessário recuperar o arvoredo, os habitats e as espécies protegidas daquele local, de modo a que sejam repostas as condições ecológicas prévias.
 
Face a este episódio, os deputados João Vasconcelos e Nelson Peralta, do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, questionaram o Governo através do Ministro do Ambiente e da Ação Climática, endereçando as seguintes perguntas:
 
1 – As autoridades competentes foram notificadas da destruição causada na zona de proteção parcial do Parque Natural da Ria Formosa, junto à praia do Ancão?
2 – O Governo confirma o licenciamento pelo ICNF da intervenção no local?
2.1 – Em caso afirmativo, em que diferiu a intervenção feita pelo proprietário do terreno e a intervenção licenciada pelo ICNF?
3 – Quantas árvores foram abatidas? A que espécies pertencem?
4 – Que habitats foram destruídos e/ou danificados?
5 – Estão as autoridades competentes a apurar responsabilidades sobre o sucedido na área de pinhal junto à praia do Ancão?
6 – Estão previstas medidas de mitigação dos danos provocados no local?
6.1 – Em caso afirmativo, quais as medidas previstas e quando serão implementadas?
7 – Que medidas prevê o Governo adotar para evitar que voltem a ocorrer intervenções semelhantes, realizadas ao abrigo das medidas de defesa contra incêndios?
 
Algarve Primeiro
 
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Avistado homem morto na Ria Formosa em Faro

Avistado homem morto na Ria Formosa em Faro

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Buscas prosseguem esta quinta-feira para encontrar jovem desaparecido na Praia da Prainha em Alvor

Buscas prosseguem esta quinta-feira para encontrar jovem desaparecido na Praia da Prainha em Alvor

ver mais
 
Município de São Brás de Alportel prepara para julho reabertura do troço Sul da Avenida da Liberdade

Município de São Brás de Alportel prepara para julho reabertura do troço Sul da Avenida da Liberdade

ver mais
 
Olhanense impugna alteração regulamentar “à medida” das pretensões da FPF

Olhanense impugna alteração regulamentar “à medida” das pretensões da FPF

ver mais
 
 
 
 
Alô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Click Saúde» Desporto» Economia
» Política» Figuras da nossa Terra» Fichas de Leitura» CX de Correio