Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
7 dicas para se tornar numa pessoa mais positiva
Imprimir Partilhar por email
O leitor pode dizer que não é possível tornar-se numa pessoa mais positiva, sobretudo depois de viver tantos anos num nível abaixo do que merece e, certamente que rodeado por muitas pessoas negativas, pois caso contrário, já seria uma pessoa positiva, isto porque as pessoas em nosso redor determinam e muito aquilo que somos e sentimos.
 
Para se sentir uma pessoa mais positiva importa ter em conta que algumas coisas terão de mudar na sua vida, a começar pelo pensamento. Antes de colocar um rótulo negativo em algo que lhe aconteceu, o ideal é analisar de forma isenta a situação e perceber o que pode aprender com ela. Quando este exercício se torna aborrecido, chato e muito difícil é porque o leitor já repetiu tantas vezes essa situação que a terá de abandonar em vez de procurar sublimar o que se passa.
 
Quando nos cansamos verdadeiramente de algo ou de alguém é porque essa energia nos sufoca e é tóxica, então devemos afastar-nos e procurar algo positivo como compensação. Isto acontece muitas vezes num emprego, o que quer dizer que estamos sempre a tempo de procurar uma solução melhor, mas também acontece com as pessoas, com os locais que frequentamos e com a forma como lidamos connosco próprios.
 
Muitas vezes estamos esgotados com determinadas amizades, ambientes e relações e fazemos um esforço enorme em manter esses contactos. Não temos de o fazer, mas sim de procurar construir um novo grupo de interesses e, o quanto antes.
 
O segredo para sermos mais positivos começa dentro de nós mesmos, pelo que temos de valorizar e enaltecer aquilo que de melhor nos acontece para que consigamos ganhar força para desvalorizar o negativo. Um dos aspetos importantes é procurar tirar o conhecimento de uma determinada experiência ou vivência por muito negativa que seja.
 
Ao fazermos este exercício estamos naturalmente a evidenciar o positivo e a dar-lhe um novo sentido e significado. Em muitos casos, essa experiência pode alertar-nos para situações seguintes, já que ficamos a saber o que não queremos e porquê. As experiências negativas também nos ajudam a valorizar mais aquilo de que gostamos, pois ao fazermos a comparação, percebemos que, afinal temos algo de muito bom em nós mesmos, isso acontece vulgarmente quando nos comparamos a outra pessoa numa situação comum e criticamos o seu desempenho, por exemplo.
 
Tendo por base o livro Fórmula da Felicidade de Stefan Klein, somos felizes quando nos sentimos bem numa determinada situação, pelo que devemos saber afastar-nos daquilo que nos impede de sentir e de viver essa situação, já que, dentro de nós exista tanta felicidade como infelicidade, tanta negatividade como positividade, o que temos a fazer é escolher o plano positivo como linha de orientação e transformar o negativo em algo que nos possa ser útil para a nossa vida e aprendizagem.
 
Num plano mais espiritual, Joe Vitale acredita que, quando entendemos o que se passa dentro de nós e nas relações com os outros e com o mundo, conseguimos valorizar muito mais o que somos e temos e, a partir daí, somos capazes de nos libertar da negatividade e estar prontos para “atrair” mais positividade. O segredo para este conferencista italiano residente nos EUA é identificar o negativo, perceber o que aprendemos com ele e depois dar-lhe um sentido positivo. Por exemplo, este trabalho que hoje me cansa, ensinou-me uma determinada técnica, preparou-me para sobreviver numa determinada fase de vida. Ao procurar outro, levo esse conhecimento e a vontade de fazer algo melhor e de ganhar mais dinheiro. Com esta predisposição, diz Joe Vitale que nos preparamos para que o Universo nos ajude a aumentar essa positividade. Ao estarmos num nível mais positivo, temos também mais oportunidades e mais escolhas para nos movimentarmos de um lado para o outro, já que a maioria das pessoas está presa aos seus medos e negatividade, sustenta o meu autor do livro "Fator Atracão" e que tem dado inúmeros cursos e conferências sobre o tema.
 
Ser positivo torna-nos mais livres e felizes, já que temos uma sensação de desapego face ao que nos poderia prender a um problema. Somos capazes de nos desligar desse “peso”, de o transformar e de nos vermos de forma mais positiva e leve. É esse estado que nos conduz ao bem-estar e ao sucesso, segundo Vitale. É como se estivéssemos da parte de fora de uma teia enorme de pessoas toda agarradas umas às outras. Estamos num plano superior e observar, a analisar e a aprender com elas, mas não estamos dentro da situação a sofrer e a condenar-nos do que não merecemos. É isso que se chama estar num nível acima; é estar num nível de consciência acima da maioria, acima das noticias do dia-a-adia, acima dos medos que nos acorrentam, acima dos problemas sem solução.
 
Colocamo-nos num patamar onde se vê a vida com um novo brilho, com mais otimismo e felicidade, olhamos para nós com mais carinho e capacidades e encaramos os outros como atores desse mesmo filme com interesses semelhantes aos nossos, em que cada um de nós tira partido do conhecimento e das experiências dos outros. Este é um nível a que muitos chamam de superior e que segundo Vitale, é acessível a todos que o queiram praticar.
 
Em ambas as vertentes percebe-se que o ponto comum é a libertação do negativo para nos podermos concentrar no positivo. Podemos acreditar em Deus, num amuleto, no universo, no poder das energias ou nas nossas capacidades, isso não importa. A base é que façamos algo para conseguirmos ascender, mudar de grupo, de pensamento e a forma de nos encorajarmos para alcançar o que queremos. Quando passamos a acreditar mais em nós mesmos, mais facilmente “atraímos” pessoas melhores, desafios mais arrojados, mais oportunidades e até mais sorte, diz Joe Vitale.
 
No site 7 formas de se sentir melhor, Aline de Alencar Rosa organizou sete pontos que o podem ajudar a ser mais positivo, são eles: 
 
1 Conecte-se com algo superior: Independentemente da crença de cada um, o essencial é acreditar que existe sempre algo superior, seja Deus, o Universo ou qualquer outra entidade em que se acredite. A base é estar conectado com algo superior que podemos designar como quisermos, mas a quem canalizamos os pedidos e a energia positiva. Ao fazer este tipo de meditação intencional, a pessoa está a libertar-se do negativo, a acreditar em si mesma e a preparar-se para ter mais consciência e lucidez para resolver os seus problemas.
 
Ver o lado positivo de tudo: Para quem leu o livro Pollyana, de Eleanor H. Porter, pode perceber o valor de ver o lado positivo de tudo. Não vou sugerir que essa regra possa ser usada sempre, mas quem quiser jogar o “jogo do contente” é uma boa sugestão para evitar ter pensamentos negativos, e para treinar a mente para atrair coisas positivas.
 
Evitar falar dos seus problemas a toda a gente: Naturalmente que podemos desabafar com um amigo, com o nosso cônjuge, com uma pessoa da nossa confiança, mas devemos ter em mente que não é positivo estar com os outros, nas mais variadas situações só para falar de coisas desagradáveis, já que isso contamina os ambientes e nos deixa cheios de energia negativa. Podemos e devemos pedir ajuda e tentar sim resolver os nossos problemas. Podemos aproveitar o conhecimento de alguém para nos fazer chegar a uma solução. Podemos falar quando necessitamos, mas sempre que possível, devemos selecionar bem as pessoas e o local onde abrimos o nosso coração ao mundo. Procure ajuda especializada, pois um médico ou um técnico são as pessoas mais indicadas para nos ajudar a resolver muitos dos nossos problemas. Não arraste situações negativas por muito tempo, procure mesmo resolve-las. Ao ter o hábito de estar sempre a falar sobre elas, acaba por não as superar e resolver, fica apenas anestesiado por falar.
 
Evite justificar-se aos outros. Assuma-se tal como é, e aprenda a gostar de si!: O pior sentimento que pode alterar a sua energia é justificar os seus atos aos outros. Cada pessoa deve aprender a assumir-se e a aceitar-se tal como é. Quando se comete um erro, devemos corrigi-lo, quando prejudicamos alguém, pedimos desculpa e evitamos repetir essa situação. Isso basta para que tenhamos uma postura respeitável perante as outras pessoas. Não temos de estar a explicar tudo o que fazemos nem o que nos tornou assim. Somos o produto das nossas vivências, das nossas aprendizagens e experiências. Assumimos os nossos atos de forma responsável e mostramos aos demais aquilo que somos: o produto do nosso percurso, mas que estamos sempre prontos para aprender mais e melhorar aquilo que temos e somos.
 
Procure estar com pessoas positivas: Rodear-se de “gente boa” é um ponto muito importante para encarar a vida de forma positiva. Pessoas com objetivos comuns, com interesses e valores semelhantes encontram mais facilmente o entendimento. Cada pessoa deve sentir-se livre para procurar as companhias com quem se sente bem e reservar-se no direito de selecionar com quem gosta de estar. Saber as razões pelas quais se escolhe um grupo a outro é muito importante para a afirmação pessoal e para se sentir mais positivo.
 
Dedique-se a si mesmo: Reserve um tempo diário para estar consigo próprio e a fazer algo que lhe dê prazer. Depois de um dia de aulas ou de trabalho, é essencial um tempo para estar em silêncio, ouvir uma boa música, apreciar a natureza, praticar desporto, ler ou fazer algo que lhe dê realmente prazer. É desses momentos que se reforça a autoestima, o bem-estar e a renovação da nossa vontade de viver. Coloque esse tempo na sua agenda tal como coloca outras exigências. Pode ser à sua maneira, mas medite no final de cada dia e encontre-se no meio de tudo o que já viveu durante as horas em que esteve ocupado.
 
Ouça a sua voz interior: Depois de tudo o que listamos, faz sentido ter em conta a importância de descomprimir e, ao mesmo tempo, ouvir o seu eu interior. A escrita pode ser um bom truque para analisar os seus pensamentos e sentimentos. Num lado da folha branca, escreva aquilo que o inquietou ou aborreceu ao longo do dia. Escreva tal e qual lhe surge no seu pensamento. Isso não é para ser lido nem corrigido por ninguém, é só para si. No outro lado da fiolha, escreva como gostaria que tivesse sido o seu dia e como se irá preparar para o dia seguinte. Anote que, desta forma, terá sempre soluções para os seus problemas dentro de si e, naturalmente que se irá sentir cada vez mais positivo e capaz de atrair boas energias.
 
Fátima Fernandes
 
COMENTÁRIOS
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(86468)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(36245)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(15976)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(12677)

Não podemos viver sem amor

(11414)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(9740)

A mentira: um mal necessário

(8594)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(8373)

Idade não traduz maturidade

(7942)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(7654)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(7639)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(6581)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5159)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5071)

É Demissexual?

(4867)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(4856)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(4652)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4253)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4179)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4148)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(3997)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(3987)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(3969)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(3944)

O poder das ervas aromáticas

(3864)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(3769)

A “ciência” do aperto de mão

(3741)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(3657)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(3648)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(3645)

A família é a base do sucesso escolar

(3605)

Descubra “o poder curativo” da praia

(3598)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(3596)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(3582)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(3558)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(3537)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(3521)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(3504)

Oito “segredos” para ser bom pai

(3452)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3431)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3367)

O que muda na mulher aos 40?

(3330)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3292)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3214)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3180)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3128)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3118)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3077)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3068)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3062)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Comissão Nacional do Território e CCDR Algarve alinhadas quanto ao licenciamento de casas móveis

Comissão Nacional do Território e CCDR Algarve alinhadas quanto ao licenciamento de casas móveis

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
São Brás de Alportel informou sobre apoios existentes a emigrantes que regressem a Portugal

São Brás de Alportel informou sobre apoios existentes a emigrantes que regressem a Portugal

ver mais
 
Festival de Órgão do Algarve nas Igrejas de Faro, Portimão, Boliqueime e Tavira

Festival de Órgão do Algarve nas Igrejas de Faro, Portimão, Boliqueime e Tavira

ver mais
 
Autores algarvios apresentam "Lendas Alentejanas"

Autores algarvios apresentam "Lendas Alentejanas"

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio