Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
A mentira: um mal necessário
Imprimir Partilhar por email
Associado ao acto de mentir, está a ideia elementar de que “é pecado”, pelo que, todos sabemos que mentimos, mas que não se deve!
 
Efectivamente, por detrás do acto de mentir, existe uma enorme carga religiosa que pune e condena a mentira, ainda assim, todos sabemos que não há ninguém que não minta tenha maior ou menor intencionalidade, pois basta termos em conta que, se disséssemos tudo o que pensamos, viveríamos ainda mais conflitos com os outros!
 
De um modo geral a mentira é o nome dado a afirmações ou negações falsas ditas por alguém que sabe (ou suspeita) de tal falsidade, e na maioria das vezes espera que os seus ouvintes acreditem nesses dizeres. Depois é de realçar que, dizeres falsos quando não se sabe de tal falsidade e/ou se acredita que sejam verdadeiros, não são considerados mentira, mas sim erros. O acto de contar uma mentira é "mentir", e quem mente é considerado um "mentiroso".
 
Parece linear e compreensível para todos, ainda assim a psicologia vem acrescentar mais alguns pensamentos…
 
Para a maioria dos especialistas, mentir é um acto social que minimiza os conflitos entre as pessoas, uma vez que, nem sempre “aquela verdade nua e crua” é a segurança e a harmonia entre as pessoas.
 
Quer isto dizer que, não existe qualquer problema em omitir, em contornar algumas verdades, desde que o intuito seja positivo, ou seja, não prejudique os outros de qualquer forma, melhore os relacionamentos e facilite algumas situações.
 
Como exemplos concretos temos uma situação em que não nos apetece ir a um determinado encontro. Claro que ficaria muito mal dizê-lo, pois iria ofender quem fez o convite. Logo, neste caso, não existe problema algum em inventar uma mentira para omitir a verdade de não querer ir.
 
Note-se que, nestes casos em que se “autoriza” a mentira, a base é sempre evitar magoar o outro e criar uma situação desagradável numa relação, mas a mentira deve também ponderar que é um recurso e não um hábito e que não pode gerar conflitos entre as pessoas.
 
Muitos entendidos designam este tipo de mentiras como actos sociais necessários para a manutenção da boa convivência social e reforçam que, só com esse intuito é que devem ser utilizadas.
 
Se soubermos que a verdade vai magoar alguém, temos por obrigação suavizá-la de forma a prevenir a situação dolorosa.
 
Num país em que se sabe que, os portugueses são muito mentirosos, é caso para interrogar se é este o objectivo das suas mentiras…
 
Provavelmente não, pois não é por acaso que gerações após gerações mergulham em conflitos, em falsas verdades e em histórias que, parecem reais e que, muitas vezes, não passam de pura invenção.
 
Nestes casos, a mentira é reprovada pois não cumpre as directrizes necessárias, mas sim, coloca-se no plano oposto: é mesmo inventada para ferir e para alimentar intrigas.
 
Este tipo de comportamento é muito perigoso já que afecta as relações, a qualidade dos sentimentos e a própria sanidade mental, sobretudo do mentiroso, pois chega a um ponto em que já não sabe distinguir a verdade da mentira.
 
Não nos esqueçamos que, a mentira pode destruir relações de amizade, casamentos, momentos familiares e daí por diante, até complicar as relações de trabalho e deve ser travada a tempo, sob pena das consequências assumirem proporções enormes.
 
O acto de mentir facilmente pode transformar-se num modelo de vida, a ponto de facilmente ser desmascarada por quem atentamente é alvo dessas histórias, pelo que, ou se cai no ridículo ou se acaba sozinho por não ter credibilidade junto dos outros.
 
Depois, ninguém pode dizer que não mente, pois todos temos essa necessidade quando estamos em apuros e precisamos de algum tempo para conseguir afirmar a verdade, mas é importante conhecer os limites, saber reconhecer um erro e uma mentira quando esta prejudica alguém e não era essa a intenção.
 
Apesar de estar em desuso o pedido de desculpa, quando é sincero, este deve ser utilizado e um reforço para corrigir um erro, pois os erros são mesmo para ser corrigidos e não esquecidos. Esta é a melhor forma de vivermos em paz para connosco próprios, pois o medo das consequências da mentira é um factor de insónia e de problemas mentais.
 
Fátima Fernandes
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(87410)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(37169)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(19248)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(14035)

Não podemos viver sem amor

(12001)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(11007)

A mentira: um mal necessário

(9165)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(9059)

Idade não traduz maturidade

(8850)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(8356)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(8292)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(8042)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(6828)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5725)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5604)

É Demissexual?

(5354)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(5304)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(5174)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(5110)

A “ciência” do aperto de mão

(4729)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4717)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4678)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4659)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4538)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4482)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(4479)

O poder das ervas aromáticas

(4442)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(4355)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(4256)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(4236)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(4178)

A família é a base do sucesso escolar

(4141)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(4068)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(4056)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(4056)

Descubra “o poder curativo” da praia

(4031)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(4030)

Oito “segredos” para ser bom pai

(4027)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(4018)

O que muda na mulher aos 40?

(3958)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3868)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3829)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3749)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3653)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3645)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3631)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3621)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3565)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3542)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3538)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Sirene dos bombeiros de Portimão alerta quando há pessoas a mais nas ruas

Sirene dos bombeiros de Portimão alerta quando há pessoas a mais nas ruas

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Instituto Piaget organizou-se “em “tempo recorde” para acolher populações de risco

Instituto Piaget organizou-se “em “tempo recorde” para acolher populações de risco

ver mais
 
Algarve chega aos 260 casos com Albufeira a registar a meia centena

Algarve chega aos 260 casos com Albufeira a registar a meia centena

ver mais
 
Algarve discute impacto da COVID.19 nas Alterações Climáticas

Algarve discute impacto da COVID.19 nas Alterações Climáticas

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Click Saúde» Desporto» Economia
» Política» Figuras da nossa Terra» Fichas de Leitura» CX de Correio