Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Ajude o seu filho a crescer
Imprimir Partilhar por email
Começo por dizer que não é fácil para um pai e para uma mãe, passar de uma fase em que o bebé precisa de tudo, para depois ir permitindo a autonomia da criança e promovendo o seu desenvolvimento sadio e equilibrado, mas tem de ser assim para que o processo decorra gradualmente e de forma positiva.
 
Cabe aos pais desde logo, uma sensibilidade para este aspeto, sob pena de impedirem que o menino ou menina sigam o seu percurso normal.
 
Os pais têm de estar atentos e disponíveis para promover essa autonomia e para despertar na criança, no jovem e no adulto aquilo de que precisam em cada fase. Não é por acaso que os pais são adultos, mais velhos e experientes, é porque têm de cuidar dos filhos e acompanhar essas etapas sempre com um passo à frente.
 
Os filhos contam com essa sabedoria dos pais e estes têm de se munir de informação para poderem cumprir esse papel da melhor forma.
 
É por isso que pais atualizados são sempre mais competentes porque partilham informação, porque pensam acerca do desenvolvimento dos filhos e do que eles necessitam em cada etapa de vida, modificam a sua forma de atuação à medida em que os filhos precisam de ser eles a tomar as decisões e, aproximam-se quando percebem que são importantes para um momento decisivo.
 
É como se de um jogo se tratasse e, é por isso que se afirma que, ser pai e mãe são as maiores provas de altruísmo que podemos ter na vida. É dar gratuitamente o que se é e o que se sabe para ter o prazer e a felicidade de ver os filhos crescerem inteligentes, trabalhadores, maduros e responsáveis. Esta é a grande tarefa dos pais que têm de usar a arte de amar ao serviço do exigir também e, acima de tudo, estarem disponíveis para saber quando são ou não necessários.
 
Entender desta forma realista o papel de pais é promover a liberdade quando é necessária, a punição quando assim se impõe e, naturalmente que dar o apoio e compreensão com uma boa dose de carinho quando sentimos esse desejo.
 
Os pais têm de saber usar todos estes ingredientes de forma harmoniosa e ao longo da vida para que os filhos se envolvam no processo, compreendam o papel dos seus progenitores e, acima de tudo, que sintam que são amados e preparados para a vida. Quando nasce o bebé, tem de estar nos planos dos pais, aquilo que se pretende que o filho seja enquanto adulto. Não me refiro à profissão, mas sim ao cidadão, ao indivíduo à pessoa. Para isso, temos de exigir em casa, um bom desempenho na escola. Temos de exigir que cumpra as regras e que aprenda a respeitar os outros e a dar-se ao respeito. Desde cedo, temos também que ir incutindo as regras de bom funcionamento social para que se comecem a cumprir na sala de aula e em casa. 
 
O que ocorre na adolescência, é o resultado da infância, tal como o adulto é o reflexo das duas etapas anteriores. Se pensarmos assim, temos um fio condutor que nos permite ajudar a orientar o nosso filho, sem que ele perca de vista que se trata do seu percurso, que está a aprender a ser responsável e que se está a desenvolver através do treino nas várias situações em que participa. Ele frequenta um clube de futebol, mas leva consigo as regras que os pais lhe ensinaram em casa. O mesmo se passa na escola, em sociedade e no grupo de amigos, por isso, a aposta dos pais deve ser muito direcionada para o que pretendem que o filho seja quando “for grande”.
 
Tenhamos em mente que, o bom sucesso que o nosso filho tiver nestas atividades, será o mesmo que vai colher no mundo profissional quando foi adulto. Os pais são a “forma” da forma da personalidade dos filhos, que é como quem diz, a base; a forma do pudim que depois se desenvolve mediante esse molde, por isso, vamos dando liberdade em troca de boas conquistas adquiridas pelos filhos, regras e o cumprimento delas, respeito em troca dele, afeto como ponto de partida para tudo, e compreensão, pois todos já passamos por muitas fases e experiências e temos de nos colocar de fora para melhor compreendermos os nossos filhos. Temos de recordar o que fizemos e como os nossos pais reagiram para podermos melhorar aquilo que queremos transmitir ao nosso filho. 
 
Exige tempo, determinação e esforço, por isso tem de ser pensado, planeado e bem definido o papel dos pais e, podemos fazê-lo ao longo da vida. Se falhamos numa fase, podemos sempre corrigir na seguinte, é bom saber isso; nada está perdido, apenas precisa de ser melhorado. O conhecimento que temos quando somos pais não é o mesmo que adquirimos quando a criança tem 5 anos por exemplo… por isso, pais responsáveis e inteligentes estão atentos e vão melhorando aquilo que falhou ou que não estava tão claro na fase anterior.
 
Dedique 15 minutos diários para conversar descontraidamente com o seu filho. Ouça-o e não o critique. Mostre-lhe confiança e compreensão e ajude-o a resolver os seus problemas quando ele lhe solicitar esse apoio, mas deixe-o expressar-se e manifestar o que pensa livremente. Este é o segredo para uma educação equilibrada, partilhada e para filhos que vão acompanhar os pais ao longo da vida sem perderem de vista os seus objetivos e processo de desenvolvimento.
 
Pais compreensivos e afetuosos, colhem gratidão na velhice porque os filhos lhes reconhecem esse valor, essa sensibilidade. Também é bom pensar nisto!
 
Fátima Fernandes
 
 
 
COMENTÁRIOS
 
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Enfermeiros anunciam greve nos Centros de Saúde algarvios

Enfermeiros anunciam greve nos Centros de Saúde algarvios

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Polícia Marítima de Vila Real de Santo António apreende cerca de 1500kg de sardinha

Polícia Marítima de Vila Real de Santo António apreende cerca de 1500kg de sardinha

ver mais
 
PS congratula-se com avanço da Circular Norte de Loulé

PS congratula-se com avanço da Circular Norte de Loulé

ver mais
 
Ministro inaugurou 40 anos da Fatacil

Ministro inaugurou 40 anos da Fatacil

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio