Economia

Algarve vai ter 17 Clubes de Ciência Viva nas escolas apoiados por fundos europeus

 
O Programa Operacional do Algarve- CRESC ALGARVE 2020, em colaboração com a Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica e a Direção-Geral da Educação, mobilizou fundos europeus para apoiar a criação de 17 Clubes de Ciência Viva na Escola, com vista à promoção da literacia científica junto dos jovens dos ensinos básico, secundário e profissional da região.

Em comunicado, a CCDR especifica que serão apoiadas atividades que valorizem o conhecimento nas áreas científicas e tecnológicas, e do ensino experimental da ciência; a produção de conteúdos técnicos especializados; a realização de encontros, seminários e workshops, a realização de visitas de estudo e outras formas de partilha de conhecimentos, experiências e boas práticas entre agrupamentos de escolas/escolas não agrupadas.
 
Para além dos Clubes de Ciência Viva na Escola, o PO Algarve trabalhou no sentido de conseguir o envolvimento dos três Centros Ciência Viva no Algarve (Faro, Lagos e Tavira), em parceria com a Universidade do Algarve, num projeto de desenvolvimento de recursos didáticos digitais, tendo em vista garantir o acesso a recursos educativos digitais de qualidade que promovam a inovação no processo de ensino-aprendizagem, estimulem a criatividade e a inovação, permitam o acompanhamento à distância da sala de aula e o trabalho colaborativo online, não só ara jovens integrados nos cursos gerais do ensino secundário, mas também do ensino profissional.
 
A estes projetos, o Programa Operacional do Algarve alocou mais de 1 milhão de euros de fundos europeus, 80% dos quais provenientes do Fundo Social Europeu e 20% do orçamento da Segurança Social. O financiamento irá cobrir durante 24 meses, os custos associados ao funcionamento dos clubes, e à produção dos recursos didáticos digitais.