Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 

AlgFuturo quer andaluzes a circular na Via do Infante a “custo zero”

AlgFuturo quer andaluzes a circular na Via do Infante a “custo zero”
Imprimir Partilhar por email
11-02-2019 - 11:49
Como é do domínio público, a abolição de portagens na Via do Infante foi novamente ao Parlamento na semana passada e, mais uma vez, foi chumbada.
 
A Associação AlgFuturo já reagiu a esta situação e lançou uma nota de imprensa para que se saiba a sua posição acerca do assunto.
 
A AlgFuturo defende que, “os andaluzes devem ter um tratamento diferenciado”, uma vez que, as portagens na A22 são “um garrote provocado aos 8,5 milhões de andaluzes (sobretudo no Algarve Central e Barlavento), e cuja presença é indispensável à nossa economia e emprego”.
 
A mesma associação faz saber que, “a situação do Algarve vai-se agravando com os efeitos negativos do Brexit” (mais a recuperação dos mercado mediterrânicos), pelo que, “estamos a ser empurrados para uma situação sufocante, pelo que algo de significativo tem que ser feito”.
 
Para a AlgFuturo, “está em causa a necessidade de consumidores para a capacidade instalada em alojamento, restauração, comércio, serviços e produtos da pesca/mar, ou agricultura que existe na região”.
 
No caso das portagens, “ao contrário do praticado”, o princípio da boa gestão e da justiça é " tratar de forma diferente, o que é diferente". A AlgFuturo reclama a carência de estudos e sublinha essa importância de tratar de forma diferenciada o que é diferente “à semelhança do que se faz noutros países”.
 
Assim, “até à extinção total das portagens na Via do Infante, além de outras medidas, de imediato tem que ser dado um primeiro passo, com entrada e circulação com custo zero dos andaluzes no Algarve e entrada dos algarvios em Andaluzia”, sustenta a AlgFuturo que, nesta análise, defende ainda há ainda duas variáveis a ter em conta: 
 
a)Em Andaluzia, grandes cidades estão mais perto do que o Porto, e Huelva e Sevilha mais perto que Lisboa. Os portugueses são muito bem vindos, mas estes milhões de consumidores têm que ser atraídos e não afastados, num país em que nas vias rápidas não se pagam portagens e nas autoestradas está em marcha a mesma prática.
 
b) De ter em conta ainda os milhões pagos às Low Cost e com promoção feita noutros países (insuficiente, apesar de tudo), para se concluir que um certo desprezo pela Andaluzia, aqui tão perto, não pode continuar.
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Câmara de Loulé investe 2,6 milhões para "aproximar Quarteira a Vilamoura"



-

UE apoia projeto da UAlg para transformar Ilha da Culatra em Comunidade Energética Sustentável



-

Albufeira ganha visibilidade no Salon des Vacances de Bruxelas



-

Câmara de Loulé investe mais de 2,6 milhões para a segunda fase do "Passeio das Dunas"



-

Olhão:Recuperação de 17 fogos habitacionais devolutos avança já em Março



PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Clube Desportivo Marítimo Olhanense cria equipa de futebol feminino acreditando no seu futuro

Clube Desportivo Marítimo Olhanense cria equipa de futebol feminino acreditando no seu futuro

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Tavirense Beatriz Guerreiro estreia-se e vence Torneio de Desenvolvimento da UEFA por Portugal

Tavirense Beatriz Guerreiro estreia-se e vence Torneio de Desenvolvimento da UEFA por Portugal

ver mais
 
Secretário de Estado da Juventude e do Desporto dois dias no Algarve para grandes eventos desportivos

Secretário de Estado da Juventude e do Desporto dois dias no Algarve para grandes eventos desportivos

ver mais
 
Câmara de Loulé investe 2,6 milhões para "aproximar Quarteira a Vilamoura"

Câmara de Loulé investe 2,6 milhões para "aproximar Quarteira a Vilamoura"

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio