A

Aspirina: um poderoso aliado na prevenção da demência

 
Tendo por base um estudo publicado recentemente, a aspirina pode ser uma resposta importante na prevenção e tratamento de doenças como a demência.

 
Os cientistas relacionam os componentes da aspirina com o seu potencial curativo, já que se acredita que o medicamento “bloqueia a enzima que mata as células do cérebro” – e pode ajudar a tratar as doenças de Alzheimer e Parkinson.
 
Os resultados do trabalho de investigação foram publicados na revista científica Plos One e podem constituir uma nova esperança.
 
O grupo de investigadores do Instituto Boyce Thompson e da Universidade Johns Hopkins descobriu que o ácido salicílico (e derivados) presente na aspirina se fixa a uma enzima chamada GAPDH, impedindo que esta entre nos núcleos das células cerebrais e provoque a sua morte.
 
Com esta descoberta os investigadores dizem que pode haver uma nova esperança para os tratamentos de condições neurodegenerativas como as doenças de Alzheimer, Parkinson e Huntingdon.
 
Ao Daily Mail, Solomon Snyder, explica, que “a enzima GAPDH, que há muito se pensava funcionar exclusivamente no metabolismo da glucose, é agora conhecida por participar na sinalização intracelular. 
 
O principal autor do estudo afirma ainda ao mesmo jornal que, “este novo resultado reconhece que a GAPDH é um alvo para drogas salicilatos relacionadas à aspirina, e, portanto, pode ser relevante para as ações terapêuticas de tais drogas.”