Sociedade

Associação Vita Nativa prepara instalação de duas mil caixas-ninho no Algarve

 
No próximo dia 26, pelas 15h30, a Associação Vita Nativa e a Direção Regional da Conservação da Natureza e das Florestas do Algarve – ICNF, irão proceder à instalação da primeira caixa-ninho, através do projeto “Alojamento Local para Aves” no âmbito do Programa Participativo Portugal – OPP.

A cerimónia que irá decorrer junto à sede da Direção Regional no Parque Natural da Ria Formosa, na Quinta de Marim, concelho de Olhão, assinala o início da instalação de duas mil caixas-ninho para toda a região algarvia.
 
Segundo a associação, a primeira caixa-ninho será destinada a poupas ou estorninhos-pretos, «espécies bastante familiares para os cidadãos e facilmente observadas nos jardins das cidades e vilas do Algarve».
 
Além deste, há mais cinco modelos específicos para as espécies-alvo, tendo em atenção, o local e o habitat a instalar. Um dos objetivos deste projeto é proporcionar locais de nidificação para várias espécies cavernícolas que vivem em contexto urbano e periurbano. Desde pequenas espécies de passeriformes, como os chapins, às poupas e estorninhos, passando pelas aves de rapinas de pequenas e médias dimensões, como os mochos-galegos, corujas-das-torres e peneireiros-vulgares.
 
A associação explica que um dos objetivos, é utilizar estas aves como espécies-bandeira para controlo natural de espécies-praga, «deixando a natureza trabalhar por si só, para ecossistemas mais saudáveis e sustentáveis, reduzindo o uso de pesticidas».
 
Com este projeto, a Vita Nativa pretende também incutir uma maior sensibilidade e interesse da sociedade, para com as aves. A ideia é de que «cidadãos e entidades tenham uma enorme vontade de monitorizar as caixas-ninho e verificar se na próxima primavera o casal volta a ocupar a caixa-ninho e a reproduzir-se com sucesso», conclui.