Política

Bloco de Esquerda alerta Governo para o desassoreamento "urgente" da barra de Tavira

O Bloco de Esquerda defende a rápida intervenção na barra de Tavira, que diz estar "bastante assoreada", com a agravante de ter piorado no último Inverno, "provocando situações de extrema gravidade, originando riscos acrescidos para as embarcações, tripulações e passageiros".

 
Para o Bloco, está em causa as embarcações de pesca, como as embarcações marítimo-turísticas, referindo tratar-se "de uma situação deveras preocupante e que se tem arrastado ao longo do tempo".
 
Em comunicado o BE esclarece, que são as comunidades piscatórias, principalmente de Tavira, Santa Luzia e Cabanas que "sofrem com o assoreamento e com o constante encerramento da barra", prejudicando a faina e a viabilidade económica destas populações. 
 
Para que se tenha uma noção da necessidade de intervenção, os bloquistas assinalam que ha mais de 10 anos que não se verifica qualquer atividade de desassoreamento da barra de Tavira, "o que demonstra o desprezo a que os sucessivos governos têm votado a atividade económica e as populações da zona".
 
O partido defende que seja efetuado o desassoreamento da barra de Tavira, "ainda neste período de verão", de forma a que não se agrave o problema no próximo Inverno. 
 
Na passada terça-feira, o Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda questionou o governo na Comissão Parlamentar de Agricultura e Mar sobre essa intervenção "urgente".
 
A reforçar esta necessidade, o Bloco lembra que no passado dia 19 de junho foi aprovado na Assembleia da República um Plano de Emergência Social e Económico para o Algarve, de sua autoria, que contempla várias medidas a executar pelo governo. Uma dessas medidas é que o governo “avance com um plano de requalificação dos portos de pesca e lotas que se encontram degradadas, desassorear portos, barras e canais como exemplo de investimento público que potencia a criação de emprego”.