Sociedade

Câmara de Loulé homenageou José Viegas Bota e Padre José António Nobre Duarte

Descerramento da placa de José Viegas Bota
Descerramento da placa de José Viegas Bota  
Descerramento da placa do padre José António Nobre Duarte
Descerramento da placa do padre José António Nobre Duarte  
O autarca de Loulé, Vítor Aleixo, presidiu, no passado sábado, ao descerramento das placas em duas artérias da freguesia, com os nomes de José Viegas Bota, empresário de frutos secos e antigo presidente da Junta de Freguesia de S. Sebastião, e do Padre Nobre, prior de Loulé.

Junto à estação de caminhos de ferro de Loulé, a poucas centenas de metros do local onde nasceu em 3 de dezembro de 1927, José Viegas Bota tem agora o seu nome perpetuado numa artéria que ajudou a “criar”. Isto porque, através da cedência de alguns dos seus terrenos, “contribuiu decisivamente para a abertura e o rasgar destas estradas, - a estrada que vai para Vale Judeu, e as ruas que sobrem o Cerro de Cabeça de Câmara -, e que vieram valorizar toda esta zona”, como referiu o filho, José Mendes Bota.
 
Dedicou-se desde sempre ao comércio e exportação de frutos secos, sendo o continuador da empresa familiar mais antiga do concelho de Loulé. Foi também autarca deste concelho e desta freguesia, quer no tempo da Ditadura, quer depois do 25 de Abril, mas reuniu sempre consenso junto da população. “Perpetuamos a memória de um homem que viveu de uma forma inteligente o seu tempo, riquíssimo nas suas vertentes de vida. Foi um bom chefe de família, um distinto empresário, foi um homem que mereceu sempre, do ponto de vista político, o reconhecimento da sua comunidade”, disse Vítor Aleixo.
 
Segundo adianta nota da autarquia, José Viegas Bota destacou-se também a nível associativo, tendo presidido ao Atlético Sporting Clube e participado na direção do Grémio dos Exportadores de Frutos Secos do Algarve. O filho referiu a sua natureza de “homem bom, que se dava com toda a gente”, e destacou ainda um outro cargo que desempenhou até praticamente ao fim dos seus dias de vida, o de tesoureiro e membro da Comissão Fabriqueira da Mãe Soberana. 
 
Foi também esta dedicação à Nossa Senhora da Piedade, Padroeira de Loulé, que marcou a vida eclesiástica de José António Nobre Duarte ao serviço da comunidade louletana, durante quase 40 anos. O Padre Nobre foi o outro homenageado do dia, com o descerramento de uma placa na artéria que dá acesso à Ermida, espaço de culto cujo projeto ajudou a desenvolver e que viria a ser inaugurada em 1995. Apoiou e dinamizou, junto com a comissão, a construção do complexo recreativo de Monte Seco, e mais tarde inauguraria em 2004, o Centro Paroquial e Social de Loulé, outra das obras em que esteve profundamente envolvido.
 
Em nome da Igreja o atual pároco de Loulé, Carlos Aquino, juntou-se a esta sessão para enaltecer o papel de “um Homem que serviu esta cidade e estas comunidades sempre com uma profunda dedicação apostólica e zelo evangelizador” e destacou o seu “sentido de justiça” e a sua “visão profética de futuro” que levou a todas estas construções. E num momento crítico para com a instituição mas também de grandes desafios e de mudança, o sacerdote referiu: “É bom comtemplarmos aqueles que são nobres e ele foi-o de nome mas sobretudo de chamamento e de consagração”.
 
Vítor Aleixo, subscreveu estas palavras e recordou uma reunião no final da década de 90, altura em que era autarca e em que lhe foi apresentado o projeto para a zona do Santuário, em que estavam presentes os dois homenageados deste dia. “40 anos ao serviço de uma comunidade, com funções pastorais é um tempo de vida assinalável, que fica aqui devidamente registado para memória futura”. Analídio Ponte, presidente da Junta, partilhou algumas das histórias que viveu não só como paroquiano mas também como elemento da comissão e festas da Nossa Senhora do Bom Sucesso. “Foi um padre que contribui bastante para a nossa freguesia, obrigada a quem tomou esta decisão”, disse.
 
Também no sábado, abriu o centro de lazer instalado na sede da Junta de Freguesia de S. Sebastião. A sala onde decorrem as assembleias de freguesia e está agora dotada com uma área de biblioteca, jogos lúdicos e mobiliário como mesas, cadeiras e sofás, para proporcionar o convívio. Aqui irão realizar-se workshops mas também algumas palestras dedicadas por exemplo à segurança, à saúde ou à alimentação.
 
 
“Queremos que as pessoas convivam umas com as outras. O caminho faz-se percorrendo e gradualmente vamos vendo o que os fregueses querem, se tem adesão ou não”, adiantou o presidente da Junta, Analídio Ponte. “Numa sociedade de multidões em que as pessoas não convivem, é importante que os poderes públicos tomem estas iniciativas que vêm ao encontro desta enorme necessidade”, enfatizou Vítor Aleixo, recordando um projeto similar de grande sucesso, o Cantinho da Amizade em Quarteira.
 
Neste momento o centro de lazer funciona das 9h00 às 17h00, em simultâneo com os serviços da Junta, mas no futuro o horário poderá ser prolongado.