Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 

Casimiro de Brito

Casimiro de Brito
Imprimir Partilhar por email
28-01-2019 - 18:51
Casimiro de Brito nasceu em Loulé, a 14 de janeiro de 1938. Teve várias profissões e acabou a sua carreira fora da Literatura como diretor de um banco. Atualmente dedica-se exclusivamente à escrita.
 
De acordo com informação avançada pelo Município Louletano, Casimiro de Brito começou a publicar em 1957 (Poemas da Solidão Imperfeita) e, desde então, lançou mais de 40 títulos. Dirigiu várias revistas literárias, entre elas Cadernos do Meio-Dia (com António Ramos Rosa), os Cadernos Outubro/ Fevereiro/ Novembro (com Gastão Cruz) e Loreto 13 (órgão da Associação Portuguesa de Escritores).
 
Atualmente é responsável pela colaboração portuguesa na revista internacional “Serta”. Esteve ligado ao movimento Poesia 61, um dos mais importantes da poesia portuguesa do século XX.
 
Ganhou vários prémios literários, entre eles o Prémio Internacional Versilia, de Viareggio, para a "Melhor obra completa de poesia", pela sua Ode & Ceia (1985), obra em que reuniu os seus primeiros dez livros de poesia.
 
Colabora nas mais prestigiadas revistas de poesia e tem obras suas incluídas em mais de 238 antologias, publicadas em vários países.
 
Participou em inúmeros recitais, festivais de poesia, congressos de escritores, conferências, um pouco por todo o mundo.
 
Foi diretor de festivais internacionais de poesia de Lisboa, Porto Santo (Madeira) e Faro. Foi vice-presidente da Associação Portuguesa de Escritores, presidente da Association Européenne pour la Promotion de la Poésie, de Lovaina, e presidente do P.E.N. Clube Português.  Obras suas foram gravadas para a Library of the Congress, de Washington.
 
Foi agraciado pela Academia Brasileira de Filologia, do Rio de Janeiro, com a medalha Oskar Nobiling por serviços distintos no campo da literatura — entre outras distinções, nomeadamente, em Portugal, a Ordem do Infante.
 
Conselheiro da Associação Mundial de Haiku, de Tóquio, foi nomeado “Embaixador Mundial da Paz” (Genebra, 2006).
 
A Académie Mondiale de Poésie (da Fundação Martin Luther King), galardoou-o, em 2002, com o primeiro Prémio Internacional de Poesia Leopold Sédar Senghor, pela sua carreira literária. Ganhou o Prémio Europeu de Poesia Aleramo-Mario Luzi, para o “Melhor Livro de Poesia Estrangeiro”, publicado em Itália, em 2004, e o “Poeteka”, na Albânia.
 
Tem traduzido poesia de várias línguas, sobretudo do japonês, e foi traduzido para galego, espanhol, catalão, italiano, francês, corso, inglês, alemão, flamengo, holandês, sueco, polaco, esloveno, servo-croata, macedónio, grego, romeno, búlgaro, húngaro, albanês, russo, árabe, hebreu, chinês e japonês. A sua obra é composta por mais de 45 livros.
 
Em 2016, recebeu a Medalha de Mérito Municipal atribuída pela Câmara Municipal de Loulé.
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Dino D´Santiago



-

João Palma



-

BTTLoulé/Elevis



-

Hugo Martins



-

Albano Neto



PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Olhão vê "nascer" novo hotel no centro da cidade

Olhão vê "nascer" novo hotel no centro da cidade

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Páscoa com folar gigante na Feirinha de Altura

Páscoa com folar gigante na Feirinha de Altura

ver mais
 
Silves:"Por Terras do Zeca" decorre no Teatro Mascarenhas Gregório devido à previsão de chuva

Silves:"Por Terras do Zeca" decorre no Teatro Mascarenhas Gregório devido à previsão de chuva

ver mais
 
Portimão apostou em projeto pioneiro nas Férias da Páscoa dos mais novos

Portimão apostou em projeto pioneiro nas Férias da Páscoa dos mais novos

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio