Sociedade

Comemorações do Dia do Município de Loulé e Festa da Espiga decorreram online

 
Este ano o Dia do Município de Loulé, que se assinalou esta quinta-feira, foi celebrado de uma forma diferente.

 
Devido à pandemia obrigou a uma contenção nos festejos e, nesse sentido, a Câmara Municipal de Loulé optou por levar a cabo um programa realizado sobretudo online.
 
Conforme refere nota do Município, um dos momentos altos do dia foi a sessão transmitida em direto através do Youtube em que o autarca, Vítor Aleixo, e os restantes elementos do Executivo tiveram a oportunidade de se dirigir aos cidadãos. Uma ocasião em que este responsável respondeu a questões levantadas pelos próprios munícipes. Um dos temas abordados foi o andamento das obras em todo o concelho que, apesar da pandemia, conseguiu prosseguir com os projetos que já se encontravam em execução, "mesmo que a ritmo menos acelerado, visto que a crise económica que assola diversos setores, não se fez ainda muito sentir no setor da construção de obras públicas", regista nota da autarca. 
 
A possibilidade de a autarquia doar material informático (computadores e tablets) aos alunos das escolas do concelho, foi uma das questões levantadas. O autarca adiantou que o foi feito um levantamento das necessidades em cada escola, pelo que "muito brevemente se espera a chegada de material que se destina aos alunos que não têm meios próprios para poderem seguir este novo modelo de ensino". As medidas de apoio aos empresários ou a questão da sustentabilidade energética foram outros temas abordados entre o Executivo Municipal e os munícipes que aderiram à iniciativa.
 
Vítor Aleixo aproveitou para fazer um balanço daquilo que tem sido a política do Município e a atividade realizada em termos de obras e projetos em curso em todo o concelho. O trabalho feito para combater a pandemia no território e as ações no período de desconfinamento como o apoio social aos cidadãos e ao tecido empresarial foi uma das tónicas das palavras do autarca. Quanto aos investimentos, o presidente da Câmara de Loulé destacou a parceria com o ABC ou as grandes questões ligadas ao ambiente, confessando-se “um entusiasta” desta matéria. 
 
“Este é o dia do orgulho e da autoestima que sentimos por este grande concelho, que tem uma história de 7 mil anos”, afirmou Vítor Aleixo que sublinhou a heterogeneidade do município que se estende desde o Alentejo até ao mar. “É este mosaico de diversidade e união que faz do nosso município uma terra vibrante e coesa, capaz de enfrentar desafios, resolvê-los e seguir em frente”, acrescentou.
 
Numa intervenção em que falou dos esforços para combater a pandemia e no momento de regresso à normalidade, face à necessidade de levar a cabo apoios sociais para quem mais necessita, o autarca foi perentório: “Temos que nos mobilizar para ajudar os que ficaram sem emprego e estão a passar mal. Ninguém ficará para trás!”.
 
Deixou ainda uma mensagem de confiança no futuro: “Estamos aqui para servir e projetar o concelho de Loulé com grande ambição na concretização de projetos que nos vão trazer prestígio e notoriedade nacional e internacional. Trabalhamos para que, cada um que aqui vive, goste e se orgulhe da sua terra, para que a vida seja melhor para todos e para que a nossa terra seja parte que conte no esforço universal de um mundo mais humano”, sublinhou ainda.
 
De referir que neste dia a autarquia apostou na promoção da Cultura, outro dos setores afetados pelo confinamento. Numa altura em que a situação apela à criatividade do mundo artístico, o Cineteatro apresentou nas comemorações do aniversário do Município os concertos com Adriano Alves (“Dinga”) e Ray van Dijvenbode, a performance teatral “Psicose” Mákina de Cena e a iniciativa conjunta com a associação Plutão de Verão, com o objetivo de dar a conhecer a nova geração de realizadores, a mostra de curtas-metragens Young South Film Festival – Couch Editions. 
 
Também a Festa da Espiga, um dos pontos altos do Dia do Município de Loulé, reinventou-se este ano. Foi possível ter um pouco desta festividade sem sair de casa, evitando o ajuntamento de público que pusesse em causa as indicações da Direção-Geral de Saúde. A festa mais tradicional e emblemática da freguesia de Salir foi assinalada em dois momentos. “A Espiga vai a sua casa”, com o desfile de dois carros em representação de atividades do mundo rural, que percorreu toda a freguesia levando a festa à porta dos habitantes, e “A Espiga em direto”, um concerto transmitido online, a partir de um terraço desta vila com a presença dos artistas como Filipa Nobre, André Catarino, Diogo Ramos e Gonçalo Tardão.
 
Emídio Santos