Economia

Covid.19:Comércio, hotelaria e serviços de VRSA preparados para a reabertura de fronteiras

Com a abertura da fronteira entre Portugal e Espanha - que durante mais de três meses esteve condicionada pela pandemia mundial da Covid-19 - os residentes e visitantes dos dois países poderão agora retomar as suas atividades transfronteiriças.

 
Segundo a autarquia de Vila Real de Stº António, de forma a assinalar a reabertura da fronteira entre o Algarve e a Andaluzia, o município associou-se, esta quarta-feira, à cerimónia que decorreu no posto de turismo da Ponte Internacional do Rio Guadiana.
 
Além dos autarcas de VRSA, Castro Marim e Ayamonte, a cerimónia contou com a presença do presidente da AMAL, António Pina, do presidente do Turismo do Algarve, João Fernandes, e do Secretário de Estado das Pescas e Coordenador para o combate à COVID-19 no Algarve, José Apolinário.
 
Espanha fez-se representar pela Delegada do Governo da Junta de Andaluzia em Huelva, Bella Domínguez e pela edil de Ayamonte.
 
 
Para Conceição Cabrita, presidente da Câmara Municipal de VRSA, «a reabertura das fronteiras significa o reatar das relações entre os dois países em termos culturais e económicos, constituindo também uma nota muito positiva para o turismo e comércio do concelho, que poderão finalmente ter melhores perspetivas para este Verão».
 
Em comunicado, a autarquia avança que no mesmo ato protocolar, Luís Romão, diretor da Eurocidade do Guadiana (composta pelos municípios de VRSA, Castro Marim e Ayamonte) considerou que «para os portugueses, a abertura da fronteira é basicamente um retorno à normalidade. Além da parte económica, a convivência com Espanha faz parte da nossa cultura, das nossas tradições e da nossa identidade».
 
Apesar da reabertura da fronteira terrestre, o transporte fluvial entre os municípios de Ayamonte e Vila Real de Santo António irá continuar interrompido devido a questões administrativas, devendo ser retomado nos próximos dias.