Política

Deputados do PSD querem que Hospital Central do Algarve não seja esquecido pelo novo ministro da Saúde

 
Os parlamentares algarvios do PSD, frisam em comunicado, que em maio passado, "ficou bem expresso" na Lei do Orçamento do Estado que «até ao final do terceiro trimestre de 2022, o Governo adota as diligências necessárias que assegurem o procedimento para a construção e equipamento do novo edifício do Hospital Central do Algarve».

Os deputados dizem que estão preocupados com o aproximar do fim deste prazo "e não haver sequer sinal do cumprimento da norma constante do Orçamento do Estado para se iniciar o procedimento para a construção e equipamento do novo edifício do hospital até ao final do mês de setembro".
 
Luís Gomes, Rui Cristina e Ofélia Ramos, deixam expresso que a alteração de ministro "não deve constituir desculpa para a violação da Lei orçamental e, por essa circunstância, o procedimento tendente à construção do Hospital Central do Algarve deve avançar, inevitavelmente, até ao dia 30 de setembro".
 
Considerando que esta infraestrutura é fundamental para ajudar a resolver os problemas que a região enfrenta na prestação de cuidados de saúde, os deputados apelam aos deputados do Partido Socialista, eleitos pelo mesmo círculo, que se juntem à causa e exerçam a sua influência junto do Governo, de modo a assegurar o cumprimento da Lei.
 
Os sociais-democratas acrescentam que o anúncio da construção da nova unidade hospitalar foi uma boa notícia para o Algarve e para os algarvios, mas recordam que o Partido Socialista "tem sido perito em fazer promessas que depois não cumpre, refugiando-se nas mais variadas desculpas, tal como aliás, aconteceu recentemente com a redução das taxas de portagens na A22", criticam.