siga-nos | seja fã
PUB
 

Ejaculação Precoce

Imprimir Partilhar por email
12-03-2014 - 22:05
Antes de clarificar esta problemática, importa frisar a pertinência na procura de apoio médico, de uma conversa aberta entre os casais e o acreditar que é possível um tratamento e um reencontro de uma sexualidade plena.
 
Entende-se por Ejaculação Prematura, o acto do homem, por variados motivos, não conseguir manter um acto sexual e, como tal, ejacular precocemente. Este facto acarreta problemas entre os parceiros, bem como o desinteresse sexual, a frustração, a desmotivação e um refúgio no silêncio. 
 
Os estudos que estão por detrás desta doença referem causas psicológicas, a par de eventuais problemas físicos e biológicos que causam ejaculação prematura. 
 
Estima-se que, um em cada três homens sofram deste problema, o que o torna cada vez mais comum e capaz de ser superado e abordado. Refira-se que, mesmo com tratamento, são muitos os homens que se inibem quanto à procura de ajuda médica. 
 
Causas psicológicas: 
 
Em termos psicológicos, estão conhecidas algumas causas que promovem a ejaculação prematura, entre outras, a ansiedade, o sentimento de culpa, as más experiências anteriores, os valores religiosos ou outros, cenários em que a sexualidade foi vivida debaixo de pressão, de tempo controlado, tal como experiências em que o medo de ser descoberto, a falta de protecção sexual poderão ter dado lugar a disfunções sexuais que, ao não serem ultrapassadas, passam para um problema que se pode renovar em cada acto sexual. Nestes casos, o apoio psicológico é um importante alicerce que não deve ser adiado. 
 
Causas biológicas: 
 
As alterações hormonais, dos neurotransmissores cerebrais, actividade reflexa anormal, alterações tiroidianas, inflamação da próstata e uretra, entre outros aspectos podem estar na base da ejaculação prematura. 
 
Com menos frequência, ainda se pode referenciar outras causas a ter em conta e que merecem ser incluídas no diagnóstico tais como, problemas nervosos pós cirurgia ou trauma, bem como o consumo de drogas, entre outras, o álcool, o tabaco e demais substâncias que para além da dependência, provocam alterações no organismo. 
 
Factores de risco: 
 
-Impotência: geralmente o medo de perder a erecção leva à precipitação das relações sexuais. 
 
-Problemas de saúde: a ansiedade, ou o medo causado por um qualquer factor, leva a uma necessidade inconsciente de despachar o coito. Os problemas cardíacos podem suscitar esta pressa em atingir o orgasmo prematuro pelo medo de sentir o cansaço e algum tipo de desconforto. 
 
-Stress: 
 
Uma qualquer preocupação relativa à vida pessoal ou profissional podem levar a uma ejaculação prematura. As dificuldades financeiras, os problemas profissionais, emocionais, a desconfiança, entre outros, podem provocar esta doença. Quando o homem tem uma doença crónica e toma medicamentos, também pode recear o seu desempenho sexual e acelera-lo, tal como existem medicamentos que podem reduzir o desempenho sexual e activar a ejaculação prematura. 
 
Tratamento: 
 
Fale com o seu médico se ejacular antes do desejado por si e/ou pela sua parceira na maioria das relações sexuais. Mesmo tendo a sensação de que poderá resolver o problema sozinho, poderá precisar de algum tratamento para atingir e manter uma vida sexual satisfatória. 
 
Complicações: 
 
Mesmo não aumentando o risco de problemas graves de saúde, a ejaculação prematura pode ser a causa de disfunções na sua vida pessoal (tensões relacionais, infertilidade do casal), discussões e pouca tolerância que, ao serem tratados em conjunto, se reduzem e complementam por um objectivo comum: a sexualidade plena para ambos. 
 
As opções terapêuticas incluem a terapia sexual, medicação e psicoterapia. Muitas vezes o tratamento ideal passa por uma combinação das 3 opções. 
 
Terapia sexual: 
 
Poderá passar por técnicas tão simples como a distracção, a masturbação um pouco antes do coito ou a insistência em outros jogos sexuais de modo a diminuir a pressão dos encontros a dois. 
 
Técnica de compressão da base da glande do pénis. 
 
Tratamento médico: 
 
São geralmente usados anti-depressivos, pelos seus efeitos colaterais, assim como anestésicos tópicos. 
 
Psicoterapia: 
 
Também conhecida por aconselhamento sexual, muitas vezes estas sessões de conversação são as que trazem os melhores resultados aos casais pela aproximação dos parceiros, pelo contacto directo com a problemática e pelas formas que se encontram para superar as situações. 
 
Refira-se que é fundamental que o homem se sinta encorajado e compreendido pela sua parceira neste processo, eis pelo que a psicoterapia surte os seus efeitos mais imediatos e, muitas vezes suficientes para a resolução desta patologia.
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Envelhecimento



-

Ébola



-

Esquizofrenia



-

Epilepsia



-

Estrabismo



PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Bolo-rei gigante de Olhão foi este ano oferecido "por opção"

Bolo-rei gigante de Olhão foi este ano oferecido "por opção"

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Uber e Re-food convidam motoristas e utilizadores a juntar-se a causa solidária

Uber e Re-food convidam motoristas e utilizadores a juntar-se a causa solidária

ver mais
 
Seis arguidos acusados pelo Ministério Público por burla que rendeu mais de 800 mil euros

Seis arguidos acusados pelo Ministério Público por burla que rendeu mais de 800 mil euros

ver mais
 
Terceira edição das "Estátuas Vivas no Natal" atraiu muitos visitantes a Lagoa

Terceira edição das "Estátuas Vivas no Natal" atraiu muitos visitantes a Lagoa

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio