siga-nos | seja fã
PUB
 

Envelhecimento

Envelhecimento
Imprimir Partilhar por email
31-08-2014 - 16:57
Nos seres vivos, o envelhecimento consiste no processo de desgaste do corpo, após a chegada da idade adulta. Estudos recentes, afirmam que este processo começa a ser mais evidente a partir dos 24 anos de idade.
 
Efectivamente, e de uma forma sucinta, o envelhecimento tem que ser encarado como um todo, sendo que as células somáticas vão morrendo uma após a outra, não havendo uma substituição por células novas, como acontece na juventude. 
 
Sabendo que, para ocorrer a substituição, as células somáticas se dividem para criarem cópias que vão ocupar o lugar deixado vago pelas que morrem, após as múltiplas divisões celulares que ocorrem no tempo, o telómero (extensão do ADN que serve para a sua protecção ) vai diminuindo até que chega a um limite crítico de comprimento. 
 
A partir do ponto em que a célula deixa de se poder dividir envelhece e morre com a consequente diminuição do número de células do organismo, das funções dos tecidos, orgãos, do próprio organismo e o aparecimento das chamadas doenças da velhice. 
 
A enzima Telomerase, é a responsável pela manutenção dos telómeros. As células não produzem o gene da telomerase, pelo que estas se regeneram, mas o restante processo não as acompanha. 
 
Muito embora, as revistas científicas já assumam ser possível activar a telómeras e criar células saudáveis imortais, a realidade a que assistimos está muito distante dessa aplicação. 
 
O envelhecimento e as perdas funcionais: 
 
Para além do envelhecimento do organismo que se reveste pela diminuição da reserva funcional, a redução da resistência às agressões e o aumento do risco de morte, acrescenta o processo. 
 
Assim, para além da diminuição progressiva na eficiência das funções orgânicas; causas biológicas, a imposição de um novo papel social, pode acelerar ou diminuir a progressão e a qualidade do mesmo: causas sócio-culturais. 
 
O envelhecimento quer-se bem sucedido e, para que tal ocorra, é preciso que alguns mecanismos funcionem em articulação. 
 
A aceitação da velhice e a criação de novas formas de estar e de viver, pode fazer uma grande diferença neste processo. 
 
Os valores pessoais, sociais e culturais, assumem um papel determinante para que o envelhecimento se processe com naturalidade. 
 
Ao mesmo tempo, o grupo de pertença e o conjunto de referências do indivíduo pode colocá-lo num estado de sofrimento, isolamento e depressão, já que se sente marginalizado pela idade, pelo grupo, pela perda de alternativas e de motivações para prosseguir o seu caminho. 
 
A vida psíquica saudável constitui um ponto determinante para que o envelhecimento se processe com dignidade, muito embora as doenças associadas à idade o possam comprometer. 
 
A par dessa limitação, muitos sujeitos não aceitam o processo natural do organismo e não se adaptam a outras formas de vida mais próximas das suas capacidades. 
 
Efeitos associados: 
 
Curiosamente, o envelhecimento acarreta consigo um conjunto de contradições associadas a questões sociais. 
 
Por um lado, a necessidade de esconder os sinais naturais do envelhecimento: o recurso a plásticas, a coloração do cabelo, os cremes anti-rugas, a necessidade de cobrir os sinais mínimos que possam denunciar a idade, entre outros. 
 
Numa outra vertente, é curioso assumir que, quando somos jovens, tendemos em querer envelhecer como forma de procurar o respeito dos outros, a licença para conduzir, para beber álcool, para frequentar determinados locais que nos faz querer parecer mais velhos. 
 
Ora, se desde que nascemos, entendemos o envelhecimento como algo de respeito e de estatuto, qual será a razão de não o encararmos assim mais tarde? 
 
Esta é uma questão que, cada vez mais se impõe nas sociedades modernas em que a esperança média de vida tem vindo a aumentar e, consequentemente, se torna essencial repensar na forma como lidamos com o processo de velhice.
 
Seguramente que, a aceitação é sempre o primeiro passo para a mudança das atitudes. 
 
Senescência: 
 
Em biologia, “senescência” é o processo natural de envelhecimento associado a patologias. 
 
Assim, senescência celular” é o fenómeno em que as células isoladas demonstram uma habilidade limitada de se dividirem num meio de cultura, bem como as alterações bioquímicas – elucidadas ou não – associadas a esta limitação. 
 
A“Senescência orgânica” é o envelhecimento do organismo como um todo e em que deixa de dar resposta ás suas funções. 
 
Por outro lado, é interessante referir que, em organismos saudáveis, ocorre uma reserva funcional que consiste na acumulação da produção do organismo que, ao não se desgastar precocemente, acumula para fases posteriores e reduz os efeitos do envelhecimento, permitindo que, este seja mais progressivo e lento. 
 
Esta é uma das razões pelas quais, existem pessoas com mais resistências do que outras com o passar da idade e que contemplemos centenários que disfarçam a sua idade. 
 
A morte é, então a consequência final do envelhecimento.
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Ébola



-

Esquizofrenia



-

Epilepsia



-

Estrabismo



-

Ejaculação Precoce



PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Bolo-rei gigante de Olhão foi este ano oferecido "por opção"

Bolo-rei gigante de Olhão foi este ano oferecido "por opção"

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Comissão Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios de Loulé fez balanço de 2017

Comissão Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios de Loulé fez balanço de 2017

ver mais
 
Uber e Re-food convidam motoristas e utilizadores a juntar-se a causa solidária

Uber e Re-food convidam motoristas e utilizadores a juntar-se a causa solidária

ver mais
 
Seis arguidos acusados pelo Ministério Público por burla que rendeu mais de 800 mil euros

Seis arguidos acusados pelo Ministério Público por burla que rendeu mais de 800 mil euros

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio