Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Escreva uma carta de despedida ao que já não quer para a sua vida
Imprimir Partilhar por email
São cada vez mais os especialistas que apontam a escrita de uma carta de despedida como uma oportunidade para encerrar um ciclo de vida doloroso. Esta é uma técnica reconhecida pelos psicólogos como sendo muito eficaz porque nos permite fechar um capítulo de vida e dar oportunidade a algo novo.
 
Ao fazermos essa despedida por escrito, tomamos consciência daquilo que já nos afetou e que vai deixar de ter impacto sobre a nossa vida num futuro próximo.
 
Basicamente escreve-se essa carta dirigida a algo ou a alguém com quem se vive ou viveu um conflito, um trauma, uma situação dolorosa.
 
É como que “uma oportunidade” para dizermos tudo o que queremos ao outro, com a vantagem de que não termos uma resposta que nos devolva ou renove o conflito.
 
Escrevemos a carta, dizemos tudo o que pensamos e depois desfazemo-nos dela. Com esse gesto, o nosso cérebro incute a ideia de que aquele problema desapareceu da nossa vida, deixou de ser importante e passou a ser compreendido e aceite. Desta forma, cumprimos a tranquilidade que o nosso “eu” deseja, pois deixamos de ter sentimentos negativos e “aquela vontade de fazer mal ao outro porque nos fez sentir mal”.
 
Uma pessoa que, por exemplo sofre de obesidade porque a mãe lhe disse que “ela seria sempre gorda na sua vida”, ou que tem falta de autoestima porque alguém lhe fez um comentário depreciativo na infância, pode aproveitar esta técnica para se livrar do que a mãe lhe disse. Com a carta, deixa de se sentir condenada ao que lhe foi dito, ao mesmo tempo em que perdoa a pessoa que lhe disse aquilo.
 
Dá o fim que entender a essa carta, mas sabe que estará a colocar um ponto final naquilo que a inquietava. Pode ser ou não capaz de conviver com a mãe, mas foi capaz de retirar os sentimentos negativos que existiam dentro de si.
 
A carta funciona como um desabafo que surte muitos efeitos em todas as áreas de vida. É também muito utilizada em casos de dependências com álcool e drogas em que a pessoa escreve essa carta expressando o que tem sofrido com esse vício. Pode ler a carta em voz alta ou partilhá-la com alguém, como pode guardá-la para a reler sempre que tenha falta de força para combater o vício.
 
 A mesma técnica estende-se a um conflito familiar. Se escrever uma carta como se estivesse a dizer à pessoa o que sente e o que aconteceu, certamente que se vai sentir muito bem com esse desabafo.
 
Em caso de divórcio, a carta de despedida é uma importante mais valia para retirar os momentos que se querem apagar da relação e ser capaz de conviver de forma educada com o “ex”. É muito útil quando há filhos em comum ou quando se quer virar essa página para seguir em frente. Para iniciar uma nova relação sem os mesmos erros do passado, esta carta também ajuda muito, pois expressa-se aquilo em que se falhou, as culpas e tudo o que nos enche o peito e que precisa de se soltar para ficarmos disponíveis para uma nova fase.
 
A escrita assume um papel de extrema relevância porque nem sempre encontramos a pessoa certa para ouvir o nosso desabafo e, o peso dentro de nós é tão grande que está é uma boa forma de o libertar.
 
Pode utilizar a carta para se despedir de um conflito com um chefe, com um colega e com tudo o que o possa inquietar. Vai ver que os resultados são surpreendentes e que a sua vida ganha uma nova liberdade e alegria.
 
Quando se sentir preparado, escreva a sua carta de despedida e afaste-se daquilo que não quer para a sua vida!
 
Fátima Fernandes
 
COMENTÁRIOS
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(87119)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(36891)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(18465)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(13586)

Não podemos viver sem amor

(11856)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(10707)

A mentira: um mal necessário

(9002)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(8868)

Idade não traduz maturidade

(8568)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(8162)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(8064)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(7617)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5575)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5513)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(5496)

É Demissexual?

(5231)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(5188)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(4981)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(4707)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4607)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4541)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4507)

A “ciência” do aperto de mão

(4477)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4373)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4358)

O poder das ervas aromáticas

(4303)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(4237)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(4135)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(4080)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(4067)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(4063)

A família é a base do sucesso escolar

(3953)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(3948)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(3929)

Descubra “o poder curativo” da praia

(3915)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(3910)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(3901)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(3898)

Oito “segredos” para ser bom pai

(3812)

O que muda na mulher aos 40?

(3809)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3737)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3708)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3626)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3518)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3511)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3499)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3495)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3437)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3426)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3419)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Castro Marim:Obra da residência para doentes de Alzheimer e outras demências "única a Sul do Tejo" deverá arrancar em junho

Castro Marim:Obra da residência para doentes de Alzheimer e outras demências "única a Sul do Tejo" deverá arrancar em junho

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Estação Salva-vidas de Ferragudo resgatou tripulante de embarcação de pesca que virou no rio Arade

Estação Salva-vidas de Ferragudo resgatou tripulante de embarcação de pesca que virou no rio Arade

ver mais
 
PSD propõe criação da «Casa das Artes de Quarteira» no edifício do antigo Casino

PSD propõe criação da «Casa das Artes de Quarteira» no edifício do antigo Casino

ver mais
 
Obras no Porto de Portimão permitem receber dois navios em simultâneo

Obras no Porto de Portimão permitem receber dois navios em simultâneo

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio