Sociedade

Hospital de Faro abre inquérito para averiguar suposta negligência médica a menina de 4 anos

Foto|D.R
Foto|D.R
Criança de 4 anos que deu entrada na Pediatria do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, no passado dia 21 de abril, fica com necrose no pé, depois de ter colocado gesso devido a uma fratura na tíbia.

 
No passado dia 21 de abril, Bianca Rosa de 4 anos, deu entrada no Centro Hospitalar Universitário do Algarve, com uma fratura na tíbia e com uma ferida incisa na zona do calcanhar devido a uma queda de bicicleta. No mesmo dia foi avaliada por profissionais de saúde, sendo encaminhada para a sua residência porque o serviço de ortopedia não tinha nenhum médico da especialidade de serviço para a atender, sendo solicitado junto da mãe que se deslocasse com a filha no dia seguinte para a colocação do gesso.
 
 
Depois de um mês de recuperação da fratura, foi retirado o gesso à criança, “nesse dia que retiraram o gesso foi quando visualizei um grande buraco no pé da minha filha, nem tive reação para nada, foi quando vim a saber que a minha filha tinha uma necrose devido a taparem a ferida com o gesso”, disse ao Algarve Primeiro, Eudora Rosa, mãe de Bianca. Acrescentou ainda, “No primeiro dia que fui às urgências mandaram a minha filha para casa, ela não dormiu nada com dores, não tiveram nenhum cuidado com ela, o que fizeram é negligência médica, já fiz reclamação no hospital, mas também vou fazer na ordem dos médicos”, salientado ainda, “o que aconteceu foi muito grave e não vou deixar passar”.
 
O nosso jornal sabe que a menor, foi avaliada hoje por profissionais de saúde, daquele Centro Hospitalar, após a mãe ter sido contactada pela administração. Fonte do CHUA esclareceu-nos que vai ser aberto um processo de inquérito interno no sentido de averiguar todos os factos junto dos serviços envolvidos.
 
A mesma fonte adiantou que, “Tendo sido apresentada reclamação, por parte da mãe da criança, ao Centro Hospitalar Universitário do Algarve, essa mesma reclamação será analisada no âmbito do circuito institucional de gestão e análise das reclamações e pedidos de esclarecimento dos utentes”.
 
Tiago Lima