Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Gosta de alguém ou quer ter alguém?
Imprimir Partilhar por email
A questão é fácil de colocar, mas nem sempre simples de responder, na medida em que, em alguns casos, parecemos confundir estes dois verbos.
 
Na realidade, quanto mais esclarecidos formos, melhor nos corre a vida e mais prazer retiramos das situações. Se eu souber descodificar os meus sentimentos, então estarei mais livre e disponível para que os momentos me sejam mais gratificantes.
 
De acordo com o dicionário da Língua Portuguesa, gostar é um sentimento agradável que sentimos por algo ou alguém. É algo de prazeroso que naturalmente nos permite uma sensação positiva.
 
No caso do querer, este refere-se muito mais ao precisar, ao cobiçar e ao ter vontade de ter algo ou alguém.
 
Enquanto que o gostar está ligado ao sentir afeto, o querer refere-se em grande medida ao querer possuir alguma coisa ou alguém.
 
De certo que o leitor já percebeu que, gostar de algo ou de alguém, não é a mesma coisa que o querer ter, mas apesar de ser mais fácil utilizar esta comparação com objetos, ainda é muito comum que a usemos para as pessoas e para os prazeres da vida, o que nem sempre nos liberta para as boas sensações.
 
Se eu for a uma festa porque gosto de estar com aquelas pessoas e de conversar com elas, sinto muito prazer nessa situação. Se pelo contrário, for ao mesmo evento porque quero ver quem lá está, acabo por me sentir frustrada com a escolha que fiz, pois em pouco tempo tenho a sensação de que nada faço ali. Já vi quem estava e fiquei com a curiosidade satisfeita, o restante tempo é um desperdício de energia.
 
Com este exemplo pretendo mostrar que, a felicidade reside essencialmente na forma como pensamos e tomamos as nossas decisões. Se me quero ficar pelo simples querer de algo, assim que tenho essa necessidade satisfeita perco o interesse. Se opto por libertar o sentir, consigo prolongar essa sensação positiva durante mais tempo e repeti-la sempre que se proporcionar.
 
Temos o exemplo de gostar de alguém e de querer ter alguém. Se gostar, alimento esse meu lado emocional e positivo e sou capaz de desfrutar de boas sensações. Se me satisfaço com o simples facto de ter alguém ao meu lado, em pouco tempo perco o prazer em estar com essa pessoa e não consigo ter muitos momentos de felicidade.
 
O sentimento renova-se e o querer implica estar sempre à procura de novos interesses por ser mais efémero.
 
Se repararmos no sexo por querer uma satisfação momentânea, rapidamente a descompressão acontece e pouco nos fica de vontade para voltar a ter o mesmo ato mecânico com aquela pessoa. Podemos escolher outra e sabemos que o prazer será o mesmo. Se sentimos amor, se gostamos daquela pessoa, naturalmente que vamos ter muito mais interesse em repetir o ato com ela e de sermos criativos. Ao sentimento inicial vamos juntando outros como a criatividade, a maior disponibilidade, a maior capacidade de entrega. Somam-se os sentimentos que acrescentam a relação, enquanto que o querer é rápido e instantâneo.
 
Depois deste apontamento acredito que seja mais fácil para o leitor encontrar mais momentos de felicidade e de prazer, sobretudo porque se conhece melhor a si mesmo, porque consegue avaliar a importância de cada momento na sua vida e fazer escolhas mais inteligentes e direcionadas ao que pretende para si.
 
Fátima Fernandes
 
COMENTÁRIOS
 
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Enfermeiros anunciam greve nos Centros de Saúde algarvios

Enfermeiros anunciam greve nos Centros de Saúde algarvios

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Polícia Marítima de Vila Real de Santo António apreende cerca de 1500kg de sardinha

Polícia Marítima de Vila Real de Santo António apreende cerca de 1500kg de sardinha

ver mais
 
PS congratula-se com avanço da Circular Norte de Loulé

PS congratula-se com avanço da Circular Norte de Loulé

ver mais
 
Ministro inaugurou 40 anos da Fatacil

Ministro inaugurou 40 anos da Fatacil

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio