Política

Grupo Parlamentar do PCP quer saber mais sobre investimentos prometidos nos hospitais do CHUA no último triénio

O Grupo Parlamentar do PCP recorda em comunicado, que em finais de 2016, o Governo PS, pela voz do Ministro da Saúde, prometeu um investimento de € 19.188.343 nos três hospitais do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) para o triénio 2017-2019. Montante que seria repartido da seguinte forma:€11.293.197 em 2017; €6.441.313 em 2018 e €1.453.833 em 2019.

 
Em março de 2018, o Grupo Parlamentar do PCP questionou o Governo sobre o investimento executado em 2017 no CHUA, tendo o Ministério da Saúde informado que «o investimento total na substituição de equipamento no Centro Hospitalar Universitário do Algarve, E.P.E. (CHUA) no ano de 2017 foi de €3.584.805,65» e que «no que respeita a conservação e reparação de equipamento no ano de 2017, o valor foi de €1.876.991,49».
 
Tendo em conta que a soma destes dois valores (€5.461.797,14) era menos de metade do montante anunciado pelo Governo para 2017 (€11.298.197), o PCP explica que confrontou o Ministro da Saúde na Comissão Parlamentar de Saúde, o qual reconheceu o incumprimento da promessa, pedindo desculpa aos algarvios e reiterando o compromisso do Governo de realizar integralmente o investimento previsto para o triénio 2017-2019, ou seja, 19 milhões de euros.
 
Em junho de 2019, o Grupo Parlamentar do PCP voltou a questionar o Governo sobre o investimento realizado nos hospitais públicos algarvios, dessa vez em relação ao ano de 2018, tendo "indiciando não ter cumprindo a promessa de realizar nestes hospitais um investimento de 19 milhões de euros no triénio 2017-2019".
 
Com estes dados, o PCP solicitou novamente ao Governo que, por intermédio do Ministério da Saúde, preste os seguintes esclarecimentos:
 
Qual o investimento realizado em 2018 no Centro Hospitalar Universitário do Algarve? E em 2019?
Caso o investimento total realizado no triénio 2017-2019 tenha sido inferior a 19 milhões de euros, como justifica o Governo o incumprimento da promessa feita aos algarvios em 2016? Que circunstâncias concretas ditaram esse incumprimento?
Os montantes que ficaram por investir no triénio 2017-2019 serão utilizados em 2020, acrescendo às verbas previstas para este ano?
Qual o investimento previsto para o triénio 2020/2022 nos três hospitais públicos algarvios (Faro, Portimão e Lagos)?