Sociedade

Incêndios:Militares atentos a zonas de risco

Face à manutenção de temperaturas elevadas, 20 patrulhas das Forças Armadas (15 do Exército e 5 da Marinha), num total de 180 militares, vão reforçar a partir de hoje, até ao próximo dia 4 de agosto, as ações de vigilância terrestre e patrulhamento dissuasor em 13 distritos de Portugal Continental, em apoio à Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) na prevenção de incêndios.

 
Este reforço surge no seguimento do pedido da ANEPC ao Estado-Maior-General das Forças Armadas, com o objetivo de incrementar as ações de prevenção um pouco por todo o país, com especial incidência nos distritos de Beja, Braga, Bragança, Castelo Branco, Évora, Faro, Guarda, Portalegre, Porto, Santarém e Viana do Castelo, Vila Real e Viseu.
 
Estes militares somam-se aos 119 que já se encontram nas mesmas funções em grande parte do território nacional. A saber, 108 militares no âmbito do Plano Faunos, em apoio ao Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas, 9 militares no âmbito de protocolos municipais, em missões de vigilância, dissuasão e sensibilização da população, e 2 militares que constituem a tripulação do helicóptero “Koala” da Força Aérea, que realiza operações de reconhecimento, avaliação e coordenação de outros meios aéreos no combate aos incêndios rurais.