Política

Legislativas: Bloco de Esquerda quer valorizar as carreiras dos profissionais da escola pública

 
José Gusmão defendeu esta quarta-feira a valorização e estabilização das carreiras dos profissionais da escola pública, dos professores aos assistentes operacionais, passando pelos técnicos especializados. Em comunicado, o candidato recorda «o acordo entre PS e PSD para impedir mudanças nas carreiras dos professores em 2019, um momento decisivo para a situação que hoje se verifica em escolas por todo o país».

O cabeça de lista do Bloco de Esquerda pelo Algarve, nas próximas eleições legislativas, visitou a Escola Secundária Júlio Dantas em Lagos, e reuniu com a Direção do Agrupamento, tendo criticado as políticas dos governos anteriores, «que em nada contribuíram para a dignificação e valorização da Escola Pública. Uma das origens desses problemas reside na constituição dos mega-agrupamentos, que acentuou a burocratização e funcionarização da profissão docente. Os critérios administrativos passaram a prevalecer sobre os critérios  pedagógicos».
 
Para o Bloco, «impõe-se, quanto antes, eliminar os constrangimentos a nível da progressão da carreira docente, assim como uma avaliação de desempenho aberrante, que só gera injustiças e desmotivação». Anota que as quotas não fazem qualquer sentido e o seu fim único prende-se com motivos economicistas. Defende também que são necessários mais assistentes operacionais e melhor remunerados e entende que o mesmo se passa com outros técnicos especializados, «devendo a legislação ser modificada no sentido da sua contratação como necessidades permanentes».
 
Os compromissos do Bloco apontam no sentido de uma maior defesa e valorização da Escola Pública, o que passa pela melhoria das condições de trabalho e remuneratórias do corpo docente, dos técnicos escolares e dos assistentes operacionais, «fatores impeditivos para a falta crónica de professores nas nossas escolas num futuro próximo e que já se faz sentir, de forma preocupante, em algumas escolas, com as consequências negativas na aprendizagem e formação dos nossos alunos».
 
A delegação do Bloco de Esquerda foi constituída por José Gusmão, cabeça de lista do Bloco pelo Algarve, João Vasconcelos, atual deputado e mandatário da candidatura e outros dirigentes bloquistas.