Sociedade

Movimento espera resposta da Administração do CHUA sobre "estado a que o CMR Sul se encontra"

Em comunicado, a Associação Movimento Determinante diz ter enviado uma carta dirigida ao Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, onde apresenta um conjunto de reivindicações, mas que até ao momento, não obteve qualquer resposta.

 
No mesmo documento a associação faz saber que “está muito desagradada e preocupada” com o estado em que o Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul se encontra, pois, “até hoje, das reivindicações que fizemos, em nome dos associados e dos cidadãos com deficiência que necessitam dos serviços do CMR Sul para manter a qualidade de vida, nem as ajudas técnicas em atraso foram resolvidas”.
 
Refere que, nos últimos três meses tem assistido a um “declínio no serviço” prestado pelo Centro “em que as consultas externas estão a ser dadas por telefone, a fisioterapia em regime de ambulatório encontra-se suspensa, a ocupação a nível de internamento para pessoas que realmente precisam diminuiu de cerca de 36 para apenas 24 camas e a lista de espera ronda os 4 a 5 meses”, denuncia.
 
Avança que, “para piorar, o CHUA (Centro Hospitalar Universitário do Algarve) internou 12 utentes do Hospital de Faro no CMR Sul”.
 
A Associação Movimento Determinante recorda que a carta foi enviada por email, no passado dia 9 de junho ao Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, e ao Diretor Clínico do Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul, acrescentando que, até ao momento, apenas obteve resposta do Diretor do CMR Sul, no dia 12 de junho, dizendo que as questões apresentadas foram encaminhadas para o Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, EPE, por forma a serem prestados os devidos esclarecimentos, sublinha.