Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Não aceite “declarações de amor” agressivas
Imprimir Partilhar por email
Longe vão os tempos em que ser agressivo era uma prova de amor, bater era gostar de alguém e chamar nomes era uma manifestação de carinho. Felizmente os tempos mudaram e todos sabem que essas não são formas de tratar quem quer que seja, muito menos uma pessoa que divide a vida connosco ou com quem estabelecemos qualquer tipo de relação.
 
Também é do domínio público que, pais que agridem os filhos não gostam deles, tal como um marido que humilha a mulher jamais a poderá amar e respeitar como se comprometeu no ato do casamento. Temos de mudar estas crenças que só nos levam ao sofrimento e alimentam a fúria dos agressores. Qualquer pessoa de bom senso sabe que o amor não contempla nenhuma forma de violência, logo tem de se proteger de qualquer tipo de agressão.
 
Os pais devem dar o exemplo entre si e para com os filhos para evitarem que eles sejam as vítimas ou os agressores no futuro. Ao mesmo tempo, também a escola e demais instituições que as crianças e jovens frequentem têm por obrigação dar esse exemplo. A base é que se perceba que ninguém tem o direito de agredir nem física nem verbalmente ninguém. Aqueles pequenos nomes que se chamam a brincar aos mais novos, são um péssimo exemplo para os jovens e adultos que vão ser no futuro, uma vez que vão considerar normal ofender as suas namoradas e, essa passará a ser a forma como vão atuar como maridos, no caso dos rapazes e esposas, no caso das raparigas. Numa sociedade moderna, não podemos permitir que tal aconteça e cabe a todos essa responsabilidade de educar para prevenir.
 
Ao mesmo tempo, é importante que as crianças e jovens não considerem normal aquelas brincadeiras mais violentas que se vivem nos namoricos, pois mais tarde as mesmas vão subindo de tom. Muitos pais culpabilizam a TV e os jogos de computador pelos atos agressivos dos filhos, mas os estudos demonstram que as tecnologias não estão a tornar os jovens mais violentos, mas sim mais insensíveis á dor do que no passado. Quer isso dizer que, a agressividade que se vive no espaço familiar e social resulta dos maus exemplos de casa; daquilo a que os jovens assistem entre os seus pais e que reproduzem nas suas relações entre pares.
 
O mesmo se passa com o alcoolismo. Um pai alcoólico não consegue evitar que os filhos não bebam em demasia na idade juvenil e adulta. Pode acontecer que os filhos recebam boas influências do exterior, mas muitas vezes acabam por imitar aquilo que aprenderam em casa.
 
É por isso que digo inúmeras vezes nestes apontamentos que, devemos ser um bom exemplo para nós próprios e para os nossos filhos. Somos um modelo de referência para o bem e para o mal. Se queremos ter filhos bem educados e ajustados socialmente, temos de fazer um esforço adulto, maduro e responsável de promover bons exemplos aos mais novos, pois é de casa que parte tudo, quanto melhor qualidade tiver a educação, melhores cidadãos teremos no futuro.
 
Sublinho este ponto porque assisto muitas vezes a lamentações de pais que quase parecem não ter mostrado nada aos filhos para se queixarem tanto deles. Dizem coisas medonhas dos filhos, mas não se apercebem do mau exemplo que lhes deram. Isto não pode ser, cada um de nós tem de se responsabilizar pelo que diz e faz para que tenhamos uma sociedade melhor. É verdade que, muitos dos pais e avós de hoje não tiveram acesso a muito do conhecimento que hoje se tem ao dispor, mas os meios de comunicação social alertam diariamente para um conjunto de problemas que podem ser evitados com uma atitude diferente, pelo que, cada vez temos menos desculpa para cometer determinados atos e promover certos exemplos. Um pai que agride verbal ou fisicamente a mãe não pode esperar que o filho respeite a sua mulher no futuro. Uma mulher que ofenda o marido e que o maltrate, está a passar esse péssimo exemplo para os filhos. Temos de entender a importância do exemplo para que possamos viver melhor, sermos mais felizes e, naturalmente, não aceitar “declarações de amor” agressivas.
 
Fátima Fernandes
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(88032)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(37641)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(21359)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(15230)

Não podemos viver sem amor

(12363)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(11550)

A mentira: um mal necessário

(9689)

Idade não traduz maturidade

(9524)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(9473)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(8972)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(8693)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(8686)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(7362)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(6398)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(6048)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5807)

É Demissexual?

(5624)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(5536)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(5458)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(5421)

A “ciência” do aperto de mão

(5286)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(5050)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4966)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4923)

O poder das ervas aromáticas

(4899)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(4856)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4835)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4724)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(4647)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(4591)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(4561)

A família é a base do sucesso escolar

(4513)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(4404)

O que muda na mulher aos 40?

(4388)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(4380)

Oito “segredos” para ser bom pai

(4351)

Descubra “o poder curativo” da praia

(4308)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(4300)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(4275)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(4238)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(4160)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(4117)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(4075)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3997)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3973)

Falta de empatia: a maior doença da humanidade

(3925)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3910)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3865)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3853)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3830)
PUB
 
MAIS LIDA AGORA
Vídeo que promove Algarve nestas férias é "sucesso" nas redes sociais

Vídeo que promove Algarve nestas férias é "sucesso" nas redes sociais

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
PCP questiona Governo sobre salários em atraso no Vila Nova Resort

PCP questiona Governo sobre salários em atraso no Vila Nova Resort

ver mais
 
Câmara de Silves e Casa do Povo de São Bartolomeu de Messines unidos no projeto "Somos Mesmo Inclusivos!"

Câmara de Silves e Casa do Povo de São Bartolomeu de Messines unidos no projeto "Somos Mesmo Inclusivos!"

ver mais
 
Portimão junta várias entidades e cria núcleo de planeamento e intervenção para sem-abrigo

Portimão junta várias entidades e cria núcleo de planeamento e intervenção para sem-abrigo

ver mais
 
 
 
 
Alô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Click Saúde» Desporto» Economia
» Política» Figuras da nossa Terra» Fichas de Leitura» CX de Correio