Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Não podemos viver sem amor
Imprimir Partilhar por email
Segundo alguns entendidos, o amor é a base do equilíbrio e da estabilidade humana, simplesmente é muitas vezes descurado, camuflado e desviado das atenções como forma de protecção.
 
Para esclarecer um pouco melhor esta dualidade entre o sentir e o não querer sentir ou assumir o que realmente nos envolve em termos emocionais, é importante ter em conta que, no cérebro humano funcionam um conjunto de conexões que ultrapassam a razão e que nos colocam ao nível dos demais mamíferos. 
 
Quer isto dizer que, apesar de sermos racionais, existe uma área do cérebro que se activa a partir das sensações que os outros nos transmitem. Perante este contacto em milésimos de segundo, o nosso cérebro desperta ou não interesse pela outra pessoa e sabe muito bem que tipo de relação quer desenvolver a partir dessa sensação. 
 
Perante esta realidade momentânea a que muitos chamam paixão, verificamos que se trata de algo inato e até mesmo controlável, uma vez que ultrapassa a dimensão racional e se projecta no domínio do subjectivo; do irracional e do afectivo. 
 
Perante o conjunto de memórias que nos ficam arquivadas desde o berço, verificamos que, ao nos ser proporcionado um momento semelhante, o nosso cérebro sabe diferenciar o positivo do negativo e o agradável do desagradável, a ponto de sentir um conjunto de emoções e de ser capaz de idealizar um percurso com uma pessoa que se viu em breves instantes, ou rejeitar alguém só porque o impacto inicial foi negativo. 
 
A partir desta constatação comprovada cientificamente, torna-se claro perceber que, se não nos envolvemos emocionalmente com outra pessoa é porque, a partir desse acto irracional, programamos o nosso cérebro para atitudes defensivas que acabam por controlar essas sensações. 
 
Nesta sequência, torna-se evidente que, naturalmente apaixonamo-nos, mas que racionalmente nos afastamos, seja por traumas, medos, outras preferências, falta de disponibilidade afectiva porque se está envolvido com outra pessoa, ou outros problemas de ordem psicológica. 
 
Recorde-se que, o facto de não amar alguém não é normal e que, quando nos apaixonamos por alguém que não nos corresponde, isso significa que temos essa disponibilidade alerta e que, mais cedo ou mais tarde, vamos encontrar essa correspondência. 
 
Claro que, se rejeitarmos os sentimentos permanentemente e sem uma razão concreta e explicável, devemos repensar no que se passa connosco e procurar apoio atempado, sob pena de perder grande parte da vida na solidão e a desesperar aquilo que não passa de um problema com solução desde que seja tratado. 
 
Em suma, o amor é algo inato; que deriva da espontaneidade afectiva e que requer alimento, por isso faz todo o sentido que o ser humano se enamore, se envolva e desfrute deste poder natural, mesmo que a paixão ocorra várias vezes ao longo da vida, pois até que encontremos aquela pessoa com quem possamos dividir o nosso mundo emocional, é possível que façamos várias tentativas, pois a par desta realidade, conhecemos a cumplicidade que se constrói a partir do tempo e do desenvolvimento afectivo, temos o prazer que se acrescenta a partir da troca e ainda a necessidade de partilhar algo com o outro, mas tudo isso surge de um primeiro contacto positivo que se deixa evoluir serenamente e com a energia emotiva do outro. 
 
Já sabe, amar não é difícil, o que pode complicar é o lado racional que, nem sempre aceita as coisas simples e os sentimentos verdadeiros e quer um estado tão superior que não existe em humanos.  
 
Fátima Fernandes
 
COMENTÁRIOS
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(86640)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(36487)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(16770)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(13027)

Não podemos viver sem amor

(11574)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(10039)

A mentira: um mal necessário

(8699)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(8501)

Idade não traduz maturidade

(8172)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(7797)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(7759)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(6891)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5279)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5192)

É Demissexual?

(4967)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(4945)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(4749)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4351)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4264)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4244)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(4188)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(4094)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4092)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4065)

O poder das ervas aromáticas

(4018)

A “ciência” do aperto de mão

(3984)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(3849)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(3836)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(3766)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(3733)

A família é a base do sucesso escolar

(3710)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(3710)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(3689)

Descubra “o poder curativo” da praia

(3678)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(3665)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(3659)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(3654)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(3614)

Oito “segredos” para ser bom pai

(3560)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3511)

O que muda na mulher aos 40?

(3472)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3465)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3379)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3294)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3260)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3227)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3200)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3178)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3159)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3157)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Faro é um dos cinco concelhos a nível nacional com mais poder de compra per capita

Faro é um dos cinco concelhos a nível nacional com mais poder de compra per capita

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Odeleite volta a ter presépio vivo com mais de meia centena de figurantes

Odeleite volta a ter presépio vivo com mais de meia centena de figurantes

ver mais
 
Deputado Cristovão Norte refere que eletrificação da Linha do Algarve «é uma miragem»

Deputado Cristovão Norte refere que eletrificação da Linha do Algarve «é uma miragem»

ver mais
 
Portimão International Dance Festival junta os melhores cem pares de dez países

Portimão International Dance Festival junta os melhores cem pares de dez países

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio