Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
O que nunca se deve dizer em frente ás crianças
Imprimir Partilhar por email
Desde há muito tempo que parece tradição humilhar as crianças em frente aos demais familiares ou amigos. Essa prática tem vindo a ser amplamente criticada pelos especialistas, uma vez que funciona como “um rótulo” ou registo negativo nas mentes dos mais novos.
 
É um facto que, dizer aspetos positivos enaltece a criança e a torna mais feliz e dotada de uma maior auto-estima, o problema é quando se diz, muitas vezes sem pensar, pontos menos favoráveis aos mais novos.
 
É comum que os casais se juntem só para falar dos filhos, só para dizer “ele agora está numa fase terrível, não deixa ninguém conversar em casa” e daí por diante, mas é bom ter em conta que, estas revelações em frente aos destinatários, funcionam como que uma autorização e não uma crítica.
 
Se dissermos que a criança “não gosta de nada além de pizzas”, isto é uma afirmação; é dado como aceite pelos pais, tal como dizer que “nunca foi grande coisa para a escola” ou que “ao arruma o quarto”. Pior ainda é dizer que “se fecha no quarto e não deixa ninguém entrar” ou ainda mais “não fala com ninguém e está sempre de mau humor”.
 
Naturalmente que é usual ouvir nas esplanadas também os pais dizerem uns aos outros para depreciar os filhos com os amigos que, “agora não larga o telemóvel”.
 
Se pensarmos bem neste ato que quase parece natural e inofensivo, vamos perceber que, os mais novos ouvem e registam estas constatações dos pais, logo é certo que os pais as dão como certas.
 
Se ao invés de se dizer este tipo de afirmações depreciativas, se aproveitasse pata educar, certamente que faríamos um bom trabalho para os nossos filhos serem mais felizes.
 
Vejamos a diferença em dizer que, “o meu filho está ótimo. Tem tido bons resultados na escola, é persistente e, certamente que terá melhores resultados para o ano”. Pode-se ainda aproveitar a presença dos amigos e demais familiares para fazer passar este tipo de mensagens: “já arruma melhor o quarto e, esforça-se por fazer melhor”. “Lá em casa não é hábito termos as portas fechadas, nem o nosso filho o faz porque sabe que não queremos isso”.
 
Os pais entre si também podem aproveitar para alterar comportamentos dizendo que, “as crianças passam por fases, vamos agora fazer diferente. Vamos comer melhor e de forma mais saudável em família”.
 
Pode-se ainda reforçar aquilo que se pretende afirmando que, “com a chegada do ano letivo, vamos organizar-nos melhor para termos melhores resultados”.
 
É importante realçar aquilo que se pretende alterar em vez de dar como certo o erro que acaba por ganhar expressão quando afirmado e, muitas vezes diante de outras pessoas.
 
Nunca é demais recordar que, não se deve de forma alguma humilhar a criança nem em casa, muito menos em frente a outras pessoas e, ainda menos dizer “tu és isto ou aquilo”, já que isso são os tais rótulos que se pretende combater.
 
Pode-se dizer que “não gostei que tivesses atirado a bola ao vidro” ou “não é bonito dizer isso a uma pessoa”. Com este tipo de frase, não se aponta o dedo à criança ou jovem, mas critica-se o comportamento.
 
O elogio faz sempre bem quando sincero e merecido pelo que se pode dizer com alguma regularidade “tenta que vais conseguir” ou “tens mesmo melhorado bastante”, “já estás quase a conseguir” ou “parabéns, conseguiste”!
 
Fátima Fernandes
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(87414)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(37172)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(19253)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(14040)

Não podemos viver sem amor

(12002)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(11009)

A mentira: um mal necessário

(9166)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(9061)

Idade não traduz maturidade

(8852)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(8359)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(8293)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(8044)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(6832)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5726)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5604)

É Demissexual?

(5356)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(5305)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(5183)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(5111)

A “ciência” do aperto de mão

(4731)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4718)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4679)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4662)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4539)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(4485)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4483)

O poder das ervas aromáticas

(4443)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(4358)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(4258)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(4241)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(4179)

A família é a base do sucesso escolar

(4144)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(4069)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(4059)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(4057)

Descubra “o poder curativo” da praia

(4032)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(4031)

Oito “segredos” para ser bom pai

(4028)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(4019)

O que muda na mulher aos 40?

(3960)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3869)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3834)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3751)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3655)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3647)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3632)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3622)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3566)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3543)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3540)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Sirene dos bombeiros de Portimão alerta quando há pessoas a mais nas ruas

Sirene dos bombeiros de Portimão alerta quando há pessoas a mais nas ruas

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Rogério Bacalhau no palco do Lethes como professor

Rogério Bacalhau no palco do Lethes como professor

ver mais
 
Secretário de Estado José Apolinário presenciou à ação de descontaminação no Lar de Boliqueime

Secretário de Estado José Apolinário presenciou à ação de descontaminação no Lar de Boliqueime

ver mais
 
Ualg cria subsídio de emergência a estudantes e está a aceitar doações

Ualg cria subsídio de emergência a estudantes e está a aceitar doações

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Click Saúde» Desporto» Economia
» Política» Figuras da nossa Terra» Fichas de Leitura» CX de Correio