Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
O que precisa de saber sobre a adolescência
Imprimir Partilhar por email
A adolescência é um período intermédio entre a criança e a idade adulta.
 
É entendida como a fase em que os mais jovens desenvolvem um conjunto de mecanismos para poderem entrar na vida adulta em pleno. É uma fase em que os pais precisam de ter mais paciência, dedicação e compreensão, uma vez que, com os pais por perto, tudo se torna mais fácil e eficiente.
 
Contrariamente ao que muitos pais podem pensar, é fundamental a sua presença nos momentos certos. São os progenitores que marcam a autoridade, mas também o carinho, o encorajamento para o melhor caminho a seguir.
 
Os jovens precisam de contar com os pais nesta fase em que a vida social ganha mais expressão e em que se sentem muitas transformações físicas e psicológicas a decorrerem ao mesmo tempo.
 
Se os pais têm de ser vigilantes, também têm de saber dar o espaço necessário para que os filhos façam as suas aprendizagens e conquistas. Vão ocorrer muitas mudanças no jovem que se prepara para ser adulto, mas é importante validar esse suporte familiar para evitar a entrada em caminhos mais difíceis. Costumo dizer que, é nesta fase que os pais mostram o que realmente sentem pelos filhos, já que é uma prova de resistência que implica muita compreensão e respeito de parte a parte.
 
Será preciso repetir muitas vezes aquilo que se pretende com um “não”, tal como a paciência pelo “sim” será uma realidade para a qual temos de estar preparados, sem nunca deixar de exigir, mas saber como fazê-lo. O respeito é fundamental para alguém que se está a preparar para ser adulto, tal como é imperioso que os pais percebam o sentido da palavra “preparar”, logo não está preparado e precisa de apoio para o conseguir.
 
É também nesta fase que os filhos estão a dar consistência ao que sentem pelos pais. Se tudo correr bem, serão próximos e unidos até ao final das suas vidas, se pelo contrário, esta etapa for marcada por muitos conflitos sem solução, raramente a relação suporta tanto afastamento. É caso para se dizer sem medo que, “temos de agarrar o touro pelos chifres!” para passarmos por mais uma etapa do desenvolvimento dos nossos filhos e que implica também nós aprendermos algo novo com eles.
 
Se nos colocarmos no lugar deles, tudo se torna mais facilitado. Eles sentem essa compreensão e proximidade e respeitam as nossas orientações. Se começamos a humilhar e a mandar sem motivo, facilmente entramos em descrédito. Costumo dizer que, para tudo é preciso meio-termo e equilíbrio entre os pontos positivos e os negativos. No fundo, é compreender o que se está a passar para poder agir. O jovem está a aplicar aquilo que aprendeu na etapa anterior e  a perceber que isso não lhe chega para seguir em frente. Recorre aos amigos e aos grupos de pertença para ir buscar mais informação. Naturalmente que, muito do que aprende, entra em choque com as ideias dos pais. Se estes tentarem compreender e evoluir com os filhos, a relação flui com muita normalidade, se começam a entrar em choque permanente desencadeia-se um conjunto de conflitos em que ninguém se entende. O ideal é que os pais se assumam e marquem a sua autoridade dando espaço para que os filhos aprendam ao seu ritmo.
 
Não podemos estar sempre a comparar o passado com o presente, já que, a maioria dos pais de hoje, nem soube muito bem o que era a adolescência e a importância que assume para a vida futura. Havia muito menos esclarecimento disponível e o autoritarismo parecia responder a todas as dúvidas dos adolescentes. Nos dias de hoje, qualquer pai ou mãe agarra num bom livro e encontra uma série de bons conselhos para se ajudar e para manter a sua firmeza na relação com os jovens.
 
Note-se que, quanto maior for a compreensão dos pais neste período, mais o jovem acatará o que lhe é dito e evitará cometer erros porque começa a pensar nas consequências dos seus atos e, isso tem mesmo de suceder nesta fase de aprendizagem. O jovem tem de compreender que se está a tornar responsável pelos seus comportamentos e que, apesar de os pais o ajudarem, vai estar sozinho a enfrentar os novos desafios.
 
De um modo geral, o objetivo cultural da adolescência é preparar a pessoa para assumir o papel de adulto. Do ponto de vista clássico, prolonga-se entre os 12 e os 22-25 anos de idade.
 
Do ponto de vista biológico, a adolescência é marcada pelo início da puberdade e o fim do crescimento físico, com alterações ao nível dos órgãos sexuais e de características como a altura, o peso e a massa muscular. É também um período de grandes alterações ao nível do crescimento e maturação do cérebro.
 
Do ponto de vista cognitivo, a adolescência é caracterizada por um aumento da capacidade de pensamento abstrato, de conhecimento e de raciocínio lógico.
 
Do ponto de vista social, a adolescência é um período de preparação para os papéis sociais culturalmente adequados dos adultos, como o de trabalhador ou parceiro amoroso. Trata-se de uma fase com "mudanças" tão dramáticas que tem recebido descrições do tipo “crise de identidade”, “é normal ser anormal” ou “psicose normativa”, etc.
 
O jovem também deve ler acerca dessas transformações que estão a decorrer para saber mais sobre si mesmo e como interpretar o que está a sentir.
 
Conversar é um hábito que se deve cultivar ao longo de toda a vida e, o jovem deve sentir que os pais o ouvem e que lhe dão o melhor conselho no momento certo.
 
Os pais explicam os perigos e, em vez de estarem sempre preocupados com a sexualidade dos filhos, optam por lhes explicar como é que se pode proteger de doenças e de uma gravidez indesejada. A educação sexual é fundamental neste período de grandes alterações e convém que o jovem seja responsável pelos seus atos.
 
Os pais não se podem demitir nesta fase, muito menos ao longo da vida, pois uma vez assumida a parentalidade, é para a vida, pelo que devem ver que o seu filho está a crescer e a preparar-se para a vida adulta bem sucedida, pelo que se devem assumir como pais maduros, adultos e responsáveis também nesta fase de vida.
 
Fátima Fernandes
 
COMENTÁRIOS
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(86725)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(36577)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(17199)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(13160)

Não podemos viver sem amor

(11641)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(10212)

A mentira: um mal necessário

(8778)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(8582)

Idade não traduz maturidade

(8290)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(7864)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(7820)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(7052)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5343)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5333)

É Demissexual?

(5025)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(4994)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(4794)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4407)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4351)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4310)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(4307)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4154)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(4149)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4133)

A “ciência” do aperto de mão

(4103)

O poder das ervas aromáticas

(4085)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(3939)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(3899)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(3833)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(3790)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(3776)

A família é a base do sucesso escolar

(3772)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(3771)

Descubra “o poder curativo” da praia

(3727)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(3715)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(3711)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(3708)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(3686)

Oito “segredos” para ser bom pai

(3613)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3562)

O que muda na mulher aos 40?

(3560)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3523)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3429)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3336)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3309)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3283)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3273)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3249)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3236)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3234)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
António Miguel Pina responde a comunicado da União de Freguesias de Moncarapacho e Fuseta

António Miguel Pina responde a comunicado da União de Freguesias de Moncarapacho e Fuseta

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 Réveillon de Faro ao som dos “Melomeno Rítmica” e dos DJs “Bubba Brothers”

Réveillon de Faro ao som dos “Melomeno Rítmica” e dos DJs “Bubba Brothers”

ver mais
 
Município de Loulé e ARS Algarve esclarecem utentes da Extensão de Saúde de Boliqueime

Município de Loulé e ARS Algarve esclarecem utentes da Extensão de Saúde de Boliqueime

ver mais
 
"Novo" Parque de Campismo da Praia de Faro já tem regulamento aprovado

"Novo" Parque de Campismo da Praia de Faro já tem regulamento aprovado

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio