Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
O que todos devem saber sobre o VIH e SIDA
Imprimir Partilhar por email
Tendo por base uma publicação da Associação para o Planeamento Familiar que muito bem resume e expõe este tema, é essencial que dediquemos algum tempo a esta matéria, uma vez que se trata de um problema concreto, real e que nos deve envolver a todos.
 
O conhecimento é sempre a melhor ferramenta que temos ao nosso dispor para nos protegermos e também para ajudar os mais novos no início de uma vida sexual mais ponderada e protegida, para além de acautelarmos outros comportamentos de risco.
 
Os especialistas anotam que é preciso falar abertamente sobre os perigos para melhor prevenir a exposição ao risco e, quando se trata do VIH ainda mais esta necessidade sobe de tom.
 
Neste sentido, é de reter que, «o VIH encontra-se principalmente no sangue, no sémen e nos fluídos vaginais das pessoas infectadas».
 
É importante ter em conta que «a transmissão do vírus só pode ocorrer se estes fluídos corporais entrarem directamente em contacto com o corpo de outra pessoa, pela via sexual e/ou sanguínea».
 
Uma mulher seropositiva «pode também transmitir o vírus ao seu bebé durante a gravidez», o parto ou o aleitamento, razão pela qual deve ser devidamente acompanhada pela equipa médica competente.
                     
É importante salientar «o facto de não constituírem riscos de transmissão comportamentos sociais, como abraçar, beijar, apertar a mão ou beber pelo mesmo copo que uma pessoa infectada pelo VIH», pelo que, todos e quaisquer atos discriminatórios devem ser rejeitados.
 
No que se refere à prevenção, a Associação de Planeamento Familiar evidencia a importância de:
 
- utilizar o preservativo masculino ou feminino nas relações sexuais; não partilhar objectos que possam estar em contacto com fluidos contaminados: escovas de dentes, máquinas/lâminas de barbear/depilar, objectos cortantes, objectos perfurantes e agulhas (incluindo de tatuagem e de piercing), seringas e outros dispositivos médicos que estejam em contacto com sangue, objectos para inalar drogas (como notas ou palhinhas); o risco de contágio de uma mãe seropositiva para o seu bebé pode também ser diminuído significativamente ao realizar uma terapêutica adequada durante a gravidez e o parto e evitando o aleitamento.
 
A mesma associação recomenda que, «todas as pessoas devem fazer o teste do VIH». Mas este torna-se ainda mais necessário se se verificarem comportamentos de risco, como:relações sexuais desprotegidas (sem preservativo); partilha de seringas ou outro material de injecção de drogas; contacto com sangue de outra pessoa.
 
O diagnóstico faz-se a partir de análises sanguíneas específicas para o VIH. Esta análise detecta os anticorpos que o sistema imunitário produz contra o vírus, ou mesmo o próprio vírus.
 
É de realçar que, «caso tenha havido comportamento de risco, a colheita de sangue deve ser efectuada apenas 3 a 10 semanas após o contacto», não podendo existir uma certeza sobre os resultados nos primeiros 3 meses após o contágio (as primeiras análises a uma pessoa infectada pelo vírus podem dar um resultado negativo, se o contágio foi recente). Por este motivo, e na dúvida, o teste «deve ser repetido passados 3 meses».
 
A realização do teste é extremamente simples. O mesmo deve ser solicitado ao médico de família ou médico assistente. Outra opção passa por fazer o teste (anónimo, confidencial e gratuito) num CAD - Centro de Aconselhamento e Detecção Precoce do VIH/SIDA.
 
Nalguns locais (unidades móveis de saúde, instalações de ONGs, alguns serviços de saúde) poderá fazer os chamados testes rápidos. Para evitar resultados falsos-negativos estes testes «são extremamente sensíveis; por esse motivo, caso sejam reactivos, deverá sempre seguir-se um teste por colheita e análise de sangue».
 
Em termos de tratamento, utiliza-se a Terapêutica anti-retrovírica, uma vez que, «não há uma cura para a infeção pelo VIH e SIDA».
 
A Associação para o Planeamento Familiar recorda que, em Portugal, esta terapêutica «é gratuita e de distribuição hospitalar», basta que as pessoas seropositivas sejam referenciadas junto dos serviços, sendo marcada uma primeira consulta médica.
 
O tratamento com medicamentos anti-retrovíricos deve ser acompanhado desde o início, de modo a aumentar a adesão dos doentes.
 
As recomendações terapêuticas têm sido alteradas com o avolumar de conhecimento sobre a infecção ao longo dos anos; além disso, «a terapêutica é adaptada caso a caso. Não deve, por isso, estranhar, se o tratamento indicado for diferente daquele que uma pessoa sua conhecida recebeu».
 
Para além do acesso a terapêuticas medicamentosas, muitas pessoas infectadas podem necessitar também de apoio psicológico e/ou social.
 
Tal acontece porque o diagnóstico de infecção por VIH pode provocar um conjunto de emoções com as quais pode ser difícil lidar: ansiedade, negação, depressão, medo. «O apoio psicológico e aconselhamento é, assim, fundamental para garantir o bem-estar dos seropositivos».
 
Para além dos serviços hospitalares, também algumas Organizações Não Governamentais (ONG) ou Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS), disponibilizam consultas de aconselhamento a pessoas infectadas.
 
Recorde-se que, em Portugal, são cerca de 14 mil o número de pessoas doentes de SIDA, num total de 32.491 mil casos de infecção que se registaram desde 1983. 
 
É importante alertar os jovens para esta realidade e prestar-lhes o esclarecimento necessário para que se protejam, uma vez que, a prevenção é sempre a melhor forma de tratar qualquer doença.
 
Fátima Fernandes
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(87381)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(37134)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(19176)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(13980)

Não podemos viver sem amor

(11986)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(10983)

A mentira: um mal necessário

(9146)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(9041)

Idade não traduz maturidade

(8825)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(8328)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(8277)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(8005)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(6795)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5713)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5595)

É Demissexual?

(5342)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(5292)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(5141)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(5096)

A “ciência” do aperto de mão

(4711)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4705)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4664)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4647)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4522)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4471)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(4456)

O poder das ervas aromáticas

(4426)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(4336)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(4236)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(4222)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(4166)

A família é a base do sucesso escolar

(4122)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(4050)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(4044)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(4042)

Descubra “o poder curativo” da praia

(4017)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(4016)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(4006)

Oito “segredos” para ser bom pai

(3989)

O que muda na mulher aos 40?

(3942)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3841)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3815)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3735)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3635)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3631)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3617)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3608)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3549)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3526)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3524)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Covid.19: 4º óbito no Algarve registado no Hospital de Portimão

Covid.19: 4º óbito no Algarve registado no Hospital de Portimão

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Há 16 profissionais de saúde infetados no Algarve

Há 16 profissionais de saúde infetados no Algarve

ver mais
 
Município de Silves prorroga encerramento dos serviços e suspensão de prazos processuais

Município de Silves prorroga encerramento dos serviços e suspensão de prazos processuais

ver mais
 
Comércio de Albufeira não vai pagar taxas de publicidade nos próximos três meses

Comércio de Albufeira não vai pagar taxas de publicidade nos próximos três meses

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Click Saúde» Desporto» Economia
» Política» Figuras da nossa Terra» Fichas de Leitura» CX de Correio