Política

PCP questiona Governo sobre vales-cirurgia do CHUA

 
O grupo parlamentar do PCP faz saber em comunicado que, com o avolumar de cirurgias em espera no Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), têm sido emitidos vales-cirurgia para os utentes que atingiram o tempo máximo de resposta garantido.

O partido diz ter conhecimento de que, recentemente surgiram casos de utentes a quem foi atribuído os ditos vales, na expetativa de verem a sua situação clínica resolvida num hospital privado, contudo, «acabam por ser recusados nesses hospitais, por falta de garantia de pagamento dos atos cirúrgicos pelo CHUA».
 
Segundo os parlamentares, quando os utentes retornam ao CHUA para que este garanta a cirurgia de que necessitam, «são informados de que terão de continuar a aguardar, muitas vezes indefinidamente, por uma solução».
 
Deste modo, os deputados do PCP solicitaram ao Governo, por intermédio do Ministério da Saúde, que sejam prestados os seguintes esclarecimentos:
 
1- Que conhecimento tem o Governo das situações de recusa de cirurgia dos utentes com vale-cirurgia no CHUA?
 
2- Que medidas vai o Governo tomar para que estes utentes vejam a sua situação de saúde resolvida dentro do SNS – Serviço Nacional de Saúde?
 
3- Que explicação tem o Governo para dar aos utentes que se encontravam na expetativa de ver a sua cirurgia realizada e retomam à longa lista de espera?
 
No mesmo comunicado, o partido diz que esta situação resulta «de décadas de desinvestimento no Serviço Nacional de Saúde e o desvio de fundos para o setor privado» que têm como consequência «a degradação geral dos serviços prestados aos utentes». Os comunistas referem que as carências com que o SNS se confronta, «ficaram ainda mais agravadas com a pandemia que tornou mais evidente a necessidade urgente de investimento».