Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Por que nos enganamos uns aos outros?
Imprimir Partilhar por email
Nascemos e crescemos entre humanos que se fazem transportar da sua herança cultural e do conjunto de crenças e valores adquiridos nesse ambiente.
 
Aprendemos as regras e as crenças próprias dessa cultura e passamos a defendê-las até que as coloquemos em evidência e, passemos a aceitar que devemos cumprir aquilo que é punido por lei, que será a garantia de que nos respeitamos uns aos outros, como é o caso das regras de trânsito, a punição face a crimes, assumir um determinado comportamento face à legislação em vigor num determinado local e daí por diante.
 
No caso das crenças, podemos reparar que o dito popular “água mole em pedra dura”, vale o que vale numa sociedade sem tempo para esperar resultados, sem esquecer “há sempre uma luz no fundo do túnel”, mas que isso tem de ter algum significado para a nossa vida que não somente essa claridade…
 
Há pessoas que fazem este processo de “libertação” daquilo que “herdaram” mais depressa que outras. Começam a colocar em causa aquilo que aprenderam e a procurar outro tipo de conteúdos que lhes permitem aproximar-se mais da sua essência. Outras demoram mais tempo a fazer esse processo, enquanto que outras nem o fazem e continuam a manter essas características como se lhes pertencessem e fossem “verdades” inquestionáveis.
 
Há muito que digo que cada um acredita no que quer, enquanto que eu acredito no que consigo, precisamente porque rejeito a ideia de me enganar a mim mesma. Por norma, gosto de colocar em causa aquilo que ouço e que me é dado como “verdade”. Faço esse exercício desde muito pequena, por isso, ando sempre à procura de conteúdos mais atualizados e, é o que recomendo a toda a gente, já que essa é a melhor forma de não nos iludirmos e de não enganarmos os outros e a nossa própria inteligência.
 
Claro que, nos enganamos uns aos outros precisamente pelo medo de assumirmos quem realmente somos, o que gostamos e o que queremos. Temos medo da crítica social e da rejeição, por isso alimentamos farsas em torno de nós mesmos e da própria essência humana para nos podermos defender e fazer parte de um grupo.
 
Naturalmente que se eu disser a um católico que gosto muito de sexo e que me faz bem esse momento de entrega com o meu companheiro, serei “condenada” pelos seus valores, da mesma forma que assumo que não sou crente e que visito as igrejas como espaços maravilhosos e de rara beleza, onde se ouve um bom concerto pela sua acústica fantástica.
 
É por isso que nos enganamos, reprimimos aquilo que é mais natural em nós só para agradarmos os outros e, muitas vezes, chegamos a acreditar que somos mesmo assim ”puros” e sem “ideias pecaminosas”, o que nos leva a privar-nos de tudo só para mantermos essa ligação aos outros que também têm essa frustração de terem de reprimir os seus desejos em prol do que a sociedade lhes incutiu como aceite.
 
Dei o exemplo da religião, mas poderia dar muitos outros, pois não faltam exemplos de erros que cometemos e de sofrimento que arrastamos para poder agradar a sociedade e manter “a fachada”.
 
Somos infelizes quando nos enganamos e ainda mais, quando tentamos passar uma imagem diferente de nós próprios, pois isso mostra que, se não o fizermos, aquele grupo não nos aceita. É caso para perguntar se vale a pena tanto sofrimento, pois qual é o real benefício de pertencer a um determinado grupo? Interesse material? Compensação monetária? Não teremos outra forma de obter lucro?
 
Não nos podemos esquecer que, estamos sozinhos no mundo desde que nascemos. Os outros amparam-nos se assim forem vocacionados, pelo que faz sentido que tenhamos essa força interior para sermos honestos connosco próprios e só depois com os outros. A vida só faz sentido quando a apreciamos na sua plenitude, quando conseguimos sentir verdadeiramente os vários prazeres para os quais estamos equipados como a intimidade, uma boa refeição, um ambiente que nos agrade e, claro estar na companhia de pessoas que nos fazem bem. Não se engane a si mesmo e seja mais feliz!

Fátima Fernandes

 
COMENTÁRIOS
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(86609)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(36447)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(16578)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(12984)

Não podemos viver sem amor

(11549)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(9994)

A mentira: um mal necessário

(8673)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(8470)

Idade não traduz maturidade

(8084)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(7768)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(7735)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(6825)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5235)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5163)

É Demissexual?

(4946)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(4920)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(4720)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4330)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4245)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4226)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(4148)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4067)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(4066)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4042)

O poder das ervas aromáticas

(3984)

A “ciência” do aperto de mão

(3918)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(3829)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(3803)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(3740)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(3715)

A família é a base do sucesso escolar

(3684)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(3681)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(3672)

Descubra “o poder curativo” da praia

(3658)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(3641)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(3633)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(3627)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(3597)

Oito “segredos” para ser bom pai

(3537)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3489)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3445)

O que muda na mulher aos 40?

(3441)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3355)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3275)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3243)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3208)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3177)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3159)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3137)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3136)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Estudantes do Curso de Educação Social da Ualg participam em missão de voluntariado e precisam da sua ajuda!

Estudantes do Curso de Educação Social da Ualg participam em missão de voluntariado e precisam da sua ajuda!

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Em dezembro o 365 Algarve celebra 2020 com Novo Circo

Em dezembro o 365 Algarve celebra 2020 com Novo Circo

ver mais
 
Castro Marim acolhe reunião do Centro Ibérico de Investigação e Combate aos Incêndios Florestais

Castro Marim acolhe reunião do Centro Ibérico de Investigação e Combate aos Incêndios Florestais

ver mais
 
Câmara de Olhão destaca jovens do concelho que conquistaram a "excelência" em diversas áreas

Câmara de Olhão destaca jovens do concelho que conquistaram a "excelência" em diversas áreas

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio