Economia

Portugal e Espanha criam comissão de acompanhamento para ponte em Alcoutim

 
O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve disse hoje que vai ser criada uma “comissão de acompanhamento” para reunir as entidades portuguesas e espanholas com competências na construção de uma ponte internacional em Alcoutim.

 
A criação de uma ligação rodoviária entre os municípios de Alcoutim, e San Lucar del Guadiana, na província andaluz de Huelva, em Espanha, conta com um investimento de nove milhões de euros previsto no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) de Portugal.
 
Como o projeto envolve uma fronteira internacional e territórios com várias entidades para as distintas competências, é necessário criar um fórum na qual “todos estejam representados”, justificou José Apolinário, em declarações à agência Lusa.
 
A decisão de criação desta “comissão de acompanhamento” foi tomada na segunda-feira, em Sevilha, Espanha, numa reunião de “coordenação institucional e implementação dos procedimentos para a construção da Ponte Alcoutim - Sanlúcar de Guadiana”.
 
No encontro realizado em Sevilha participaram o presidente da CCDR/Algarve e o presidente da Câmara de Alcoutim, Osvaldo Gonçalves, do lado português, e o delegado do Governo em Sevilha, Pedro Fernández Peñalver, e a subdelegada do Governo em Huelva, Manuela Parrala Marcos.
 
“O município de Alcoutim e o município de San Lucar [del Guadiana], em articulação com o delegado do Governo de Espanha na Andaluzia, com a Junta da Andaluzia e a Diputación de Huelva, vão avançar para uma comissão de seguimento e monitorização da obra”, adiantou José Apolinário.
 
A mesma fonte acrescentou que, do lado português, estão também envolvidas a CCDR/Algarve e as Infraestruturas de Portugal.
 
José Apolinário esclareceu que a ponte vai “ligar dois territórios de fronteira” e que “são de competência nacional e dos governos da República portuguesa e do Reino de Espanha”, mas depois a via irá “ligar a uma estrada regional” junto a San Lucar del Guadiana e a competência, neste caso, está a cargo da Diputación de Huelva, “que tem de assegurar as conexões”.
 
Já a Junta da Andaluzia tem, segundo o presidente da CCDR/Algarve, “competências em ambiente e cooperação transfronteiriça”, pelo que as três entidades devem envolvidas nessa comissão para facilitar a comunicação e coordenação.
 
“Vamos avançar para uma comissão de seguimento para podermos ter todas as entidades sentadas à mesma mesa na concretização deste projeto”, disse.
 
Do lado português, o projeto já está a ser preparado, com o município de Alcoutim “a desencadear os procedimentos para os levantamentos topográficos”, referiu ainda o presidente da CCDR.
 
“E vai brevemente avançar com o procedimento para os estudos geotérmicos, que são indispensáveis para avançar com o projeto da obra”, acrescentou José Apolinário, referindo-se à travessia ansiada há décadas pela população de Alcoutim, situada a cerca de 50 quilómetros da ponte internacional do Guadiana, a ligação rodoviária mais próxima com Espanha, localizada em Castro Marim.
 
A mesma fonte disse ainda que quinta-feira está prevista uma Cimeira Luso-espanhola e “as regiões apresentaram um caderno reivindicativo onde esta matéria está incluída”, a par de questões ligadas à ferrovia e ciclovias.
 
Lusa