Sociedade

Portugal perde um lugar na lista de países mais seguros do mundo

 
Portugal perdeu este ano um lugar na lista de países mais seguros do mundo, caindo da terceira para a quarta posição ao ser ultrapassado pela Dinamarca, segundo o relatório Global Peace Index 2021 hoje divulgado.

O relatório do Institute for Economics & Peace, que analisa 163 Estados, indica que o país mais seguro do mundo é a Islândia, seguido da Nova Zelândia, Dinamarca, Portugal e Eslovénia.
 
De acordo com o relatório Global Peace Index 2021, Portugal é o segundo país mais seguro da União Europeia.
 
O mesmo documento indica ainda que o país mais inseguro do mundo é o Afeganistão.
 
Em comunicado sobre a divulgação do relatório, o ministro da Administração Interna refere que Portugal ser considerado um dos países mais seguros do mundo “é um ativo para a qualidade de vida dos portugueses” e constitui-se como uma vantagem competitiva face a outros países.
 
“A questão da segurança está muito longe de ser uma questão estritamente policial. A segurança é hoje um fator decisivo para a captação de investimento, para a captação dos turistas que esperamos voltar a ter, para o reforço da imagem global do país. Lembramo-nos facilmente de países que têm um grande potencial como o nosso, nos quais a insegurança limita o desenvolvimento económico, o investimento ou o turismo”, sublinha Eduardo Cabrita.
 
“Portugal registou, em 2020, os indicadores mais baixos de criminalidade desde que existe o atual modelo de registo, há mais de 30 anos. E é importante recordar que isso foi conseguido num ano tão difícil como este de pandemia que, em muitos países, contribuiu para o aumento da conflitualidade e para o aumento de algumas formas de criminalidade”, sublinha ainda o governante.
 
Nesta 15ª edição do Índice, que abrange 99,7% da população do mundo, conclui-se que o nível global de paz manteve a tendência de deterioração, num mundo em que os conflitos e crises surgidos na década passada começaram a diminuir e a ser substituídos por uma nova onda de tensão e incerteza em resultado da pandemia covid-19, a par das tensões crescentes entre as principais potências.
 
O Ministério da Administração Interna indica ainda que, em 2014, Portugal ocupava o 18.º lugar, tendo vindo a subir na tabela nos últimos anos.