Política

PSD Algarve quer que Governo “abra negociações urgentes” com o Reino Unido

Em comunicado enviado às redações, o PSD/Algarve, faz um ponto de situação acerca do “Xeque Mate” do Reino Unido face à região. Avança que, a par do resto do país, ao contrário de Açores e Madeira, o Algarve foi excluído pelas autoridades britânicas do corredor turístico que vai vigorar para 60 países, a partir de 10 de julho.

 
Para os sociais-democratas, esta decisão traduz “um falhanço clamoroso do Governo”, ao ser incapaz nos canais diplomáticos de explicar que o Algarve é uma região que tem a pandemia controlada, um destino seguro, com “baixíssima” taxa de mortalidade e que esteve e está melhor do que muitas das regiões doutros países que figuram no corredor turístico tornado público.
 
Para o PSD, “este é um golpe brutal para a região”, a qual tem no turismo externo - maioritariamente britânico - a âncora de muitas empresas e emprego, e que aguardavam a decisão “com esperança de diminuir as brutais perdas que a região está a sentir”.
 
Na mesma publicação, o Partido Social Democrata regista que, se o Governo verificou que seria impossível, face à situação de Lisboa, uma decisão desta natureza, “tinha obrigação”, de garantir que o resto do continente, com indicadores bem melhores, não seria sujeito a uma decisão com tantas penalizações.
 
No mesmo comunicado lê-se que “o Algarve exige, que esta situação seja revista”, que se abram “negociações urgentes”, para ultrapassar esta “intolerável situação de cerca sanitária de que o Algarve está a ser vítima e que mancha a sua reputação”, conclui.