Política

PSD de São Brás de Alportel critica chumbo de Moção que defendia famílias

Decorreu no passado dia 26 de novembro a 5.ª Sessão Ordinária da Assembleia Municipal de São Brás de Alportel, em que a bancada social-democrata apresentou uma moção com o objetivo de implementar «algumas boas práticas e medidas que contribuam para uma maior harmonização e conciliação entre a vida familiar e profissional dos funcionários municipais», além da criação de uma estratégia «facilitadora» da vida familiar dos munícipes no que diz respeito à oferta de serviços públicos disponibilizados no concelho.

 
Reconhecendo que o município de São Brás de Alportel já tem atualmente algumas medidas que contribuem para este objetivo, o Partido Social Democrata, refere em nota enviada à comunicação social, que «pretendia melhorar e reforçar as medidas já existentes».
 
No que respeita à gestão de recursos humanos, a Moção defendia a possibilidade de concentrar o horário de trabalho dos colaboradores do município que sejam pais, «permitindo efetuar a integralidade do horário semanal numa semana mais curta alongando o tempo de presença diária».
 
Em relação aos munícipes, apoiar a fixação de residência para famílias oriundas de outros concelhos, incentivar a criação de estágios em empresas locais, incentivar a aprendizagem dos pais e avós ao longo da vida, implementar um programa de “bike to school” ou “ciclismo para todos” para levar à escola, em segurança, as crianças que, morando próximo, não estão integradas nos transportes escolares e ainda optar pela devolução de uma parte ou do valor total da receita de IRS às famílias.
 
Apresentada a moção, o PSD diz que a mesma foi chumbada com os votos contra do PS e CDU. 
 
Os social-democratas interpretam este chumbo, porque «a CDU continua a sua luta cega contra tudo que não seja autoria da “esquerda” e o PS demonstra mais uma vez a atitude verdadeiramente demagógica que ignora, inviabiliza e chumba qualquer proposta apresentada pela oposição, por mais construtiva e positiva que essa possa ser, mesmo quando se justifica a sua necessidade por parte dos colaboradores camarários e munícipes». 
 
Fica a promessa de que irá «continuar a apresentar e a aprovar propostas de forma responsável, que contribuam positivamente para o concelho, independentemente da cor política que as apresenta».