Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Quando é que um casal deve pedir ajuda terapêutica?
Imprimir Partilhar por email
Segundo a psicóloga Anna Hirsch Burg, “tentar ser feliz é obrigatório” realizar é uma sorte", o que a leva a sugerir que um casal procure uma terapia em conjunto para resolver problemas e inquietações que nem sempre se conseguem resolver no seu seio conjugal.
 
A decisão de procurar um terapeuta deve ser assumida por ambos os parceiros e no tempo em que se percebem problemas para os quais não estão a conseguir dar resposta em conjunto. Muitas vezes, os problemas avançam de tal forma que se torna difícil a tarefa de recuperar a relação, esta é uma razão pela qual se deve pedir ajuda atempada ou parar para pensar se essa será mesmo a relação ideal para si, já que existem muitos fatores que tornam as pessoas incompatíveis e a que devemos estar atentos.
 
Apesar de a maioria dos problemas ter solução para um terapeuta, quando não existe vontade de ambos para abordar claramente os seus problemas, a tarefa torna-se muito difícil. Também na base de muitas separações estão problemas com pais e sogros, pelo que, quando o envolvido não consegue concentrar-se mais na sua vida e colocar limites na relação com os seus pais, é muito difícil salvar um casamento ou namoro.
 
Também é preciso ter em conta que, quando se casa à espera que ele ou ela mude, é o mesmo que “dar um tiro no pé”, pois tal só acontece quando existe essa necessidade e interesse. O mesmo se passa com o nascimento de um filho que nunca salva um casamento.
 
Há situações para as quais o melhor terapeuta do mundo não tem resposta. Um homem que seja muito ligado à mãe e que a coloque acima da sua relação, não terá solução se não o quiser verdadeiramente. O mesmo se passa com determinados vícios que precisam de ser tratados, a má gestão do dinheiro e daí por diante.
 
Um casal que não consegue conversar, terá forçosamente de pedir a ajuda de um terapeuta conjugal se não quiser terminar a relação. A conversa é a base de uma qualquer relação, pelo que deve ser evidenciada e, é normalmente o ponto de partida dos especialistas empenhados em ajudar o casal.
 
Deve-se procurar ajuda em todas as situações em que não se consegue um acordo, um entendimento, o respeito de parte a parte, a capacidade de ouvir e de se fazer ouvido, em que existe sentimento, mas não se consegue manter uma relação, em casos de vícios e qualquer tipo de dependências, até as emocionais, sejam pelo parceiro, por amigos ou familiares.
 
O terapeuta ajuda a que cada um dos parceiros se compreenda melhor, que avalie a razão pela qual está a adotar determinado comportamento e até que ponto está disposto a mudar. Ajuda também a que o sujeito encontre os seus verdadeiros sentimentos e que assuma compromissos. Em muitos casos, a terapia ajuda a facilitar a comunicação entre os parceiros e a uma tomada de consciência individual e depois em conjunto, daquilo que os está a impedir de serem mais livres e felizes. Quase sempre são problemas passados de cada um que têm interferência no presente e que não facilitam a convivência. É nesses casos que a terapia pode funcionar fazendo com que ambos percebam aquilo que está a falhar para que possa ser melhorado, mas quando a pessoa não quer, não há milagres!
 
É importante acreditar que a terapia pode ajudar, mas também não devemos elevar demasiado as nossas expetativas, uma vez que, há pontos que não mudam, ou se aceita a pessoa tal como ela é, ou nada feito, mas a terapia pode ajudar nesse processo de aceitação também. Há quem recorre a este tipo de ajuda para o processo de separação com ou sem filhos, uma vez que, é importante que ambos não fiquem inimigos quando o amor acaba.
 
A compreensão é muito importante entre os casais e em qualquer relacionamento, por isso, é natural que qualquer um dos parceiros de vez em quando se sinta fragilizado e a precisar de colo. Dar esse apoio constitui uma prova de carinho e de amizade fundamental em qualquer relacionamento. Muitas vezes, a terapia incide em pontos tão simples quanto esse de forma a libertar mitos e crenças do passado. Apesar de serem dois adultos, os membros do casal passam por momentos de fragilidade e medo, pelo que é natural que procurem apoio no outro. Se a mulher tiver a crença de que ele é um fraco, certamente que isso não vai ajudar a manter a relação. Se o marido pensar que  a mulher tem de ser sempre a sua protetora, certamente que o casamento não tem muita viabilidade. O interessante é perceber que todos ganhamos mais força depois de assumirmos as nossas fraquezas. Nem o homem é sempre forte, nem a mulher é sempre fraca e vice-versa.
 
Ainda no contexto dos mitos e crenças,  ambos os parceiros têm de se atualizar, já que são estes que, muitas vezes, impedem o bom funcionamento de uma relação. Quem é que nunca ouviu dizer que o casamento é para a vida e que temos um amor eterno? Mesmo que as pessoas não se entendam, é comum que troquem este tipo de acusações, a ponto do ato formal do casamento estar em declínio. A relação dura até que ambas as partes o decidam. Fazem uma terapia quando querem salvar algo em que ainda acreditam, não porque tenham de estar juntos a vida toda quando isso deixou de ser um desejo.
 
Há muitos ditos do passado que não fazem qualquer sentido hoje, ou talvez nunca o tivessem feito, mas pensava-se pouco acerca do assunto, entre outros, a ideia de existir uma idade ideal para casar, o ter de cumprir determinados requisitos, que ele ou ela muda depois do nascimento dos filhos, que ele muda o hábito de ver futebol se gostar da mulher e que esta tem a obrigação de manter uma relação. Esta pressão está a acelerar o tempo de validade de muitas relações, pelo que, uma terapia pode ajudar e muito a mudar mentalidade e a atribuir um sentido mais leve e descontraído ao casamento.
 
No fundo, todos procuram amor, carinho, satisfação sexual e compreensão, mas poucos assumem essa fragilidade com medo de serem fracos e de alimentarem ilusões. Às vezes mais vale assumir logo o que se pretende e ver se a outra pessoa está em linha connsosco! Para isso também serve a terapia de casal, pois mesmo que não salve o casamento, ajuda a que o casal se recomponha após a separação.   
 
Fátima Fernandes
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(87401)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(37159)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(19231)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(14020)

Não podemos viver sem amor

(11996)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(10998)

A mentira: um mal necessário

(9158)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(9053)

Idade não traduz maturidade

(8840)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(8345)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(8288)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(8031)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(6814)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5720)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5599)

É Demissexual?

(5350)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(5299)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(5165)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(5105)

A “ciência” do aperto de mão

(4722)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4713)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4673)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4654)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4533)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4478)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(4472)

O poder das ervas aromáticas

(4436)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(4348)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(4247)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(4230)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(4173)

A família é a base do sucesso escolar

(4135)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(4061)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(4052)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(4051)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(4026)

Descubra “o poder curativo” da praia

(4025)

Oito “segredos” para ser bom pai

(4018)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(4013)

O que muda na mulher aos 40?

(3952)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3847)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3822)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3744)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3646)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3640)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3626)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3617)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3556)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3535)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3532)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Caso de Covid-19 em Lagos está ligado a emigrante português

Caso de Covid-19 em Lagos está ligado a emigrante português

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico de Silves assistiu ao nascimento de 3 crias

Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico de Silves assistiu ao nascimento de 3 crias

ver mais
 
Câmara Municipal de Lagoa disponibiliza primeira tranche de apoio às IPSS do concelho de Lagoa

Câmara Municipal de Lagoa disponibiliza primeira tranche de apoio às IPSS do concelho de Lagoa

ver mais
 
Monchique interdita parques de merendas e acesso ao Alto da Fóia

Monchique interdita parques de merendas e acesso ao Alto da Fóia

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Click Saúde» Desporto» Economia
» Política» Figuras da nossa Terra» Fichas de Leitura» CX de Correio