Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Quando pensamos positivamente atraímos situações mais gratificantes
Imprimir Partilhar por email
O ser humano tem uma natural tendência para fazer “uma tempestade num copo de água”, faz parte da nossa forma de pensar essa negatividade para nos prepararmos para os perigos e encontrarmos formas de nos defendermos.
 
Não podemos deixar de ter essa negatividade dentro das nossas cabeças porque esse é um mecanismo de defesa, mas podemos e devemos aprender a pensar de outra forma, nomeadamente a sentir e a desfrutar de uma boa sensação de alívio quando percebemos que, afinal não era assim tão difícil como estávamos a pensar.
 
Se o leitor reparar, na maioria das vezes em que se prepara para uma situação delicada, exagera nos pensamentos até lá chegar, depois, quando se depara com a realidade, esta não era assim tão grande nem tão exigente.
 
É com essa garantia que devemos pensar na vida e nas situações, ter consciência de que exageramos, mas que no fundo, não precisamos de estar tão defensivos para enfrentar a perda de algo ou de alguém, uma mudança de emprego, o fim de um relacionamento, pois tal como nos preparamos para nos proteger, também o nosso cérebro se adapta facilmente a novas situações.
 
O cérebro gosta de novos desafios, de novidades e novos interesses. Quando lhe damos algo novo, é muito fácil esquecer o que aconteceu, ou pelo menos aliviar a carga que o antecedia.
 
Não é por acaso que se diz que, quando passamos pelas situações é que as sabemos avaliar. Claro que se pensarmos negativamente, vamos sempre manter a nossa postura negativa e exagerada. Se pelo contrário, pensarmos que na realidade foi mais fácil do que pensávamos, conseguimos construir um pensamento positivo.
 
Com esta forma mais “leve” de pensar, é natural que a vida nos comece a correr melhor, sobretudo porque atraímos pessoas mais parecidas com o nosso estilo de vida, participamos em momentos mais adequados à nossa forma de estar e de pensar. Uma pessoa que encare a vida com esta positividade e que acredite vivamente que é possível surpreender-se, que esteja preparada para desfrutar do alívio de uma situação e da felicidade daí resultante, está a treinar o seu cérebro para uma perspetiva de vida mais agradável, realista e benéfica, logo não se vai envolver com pessoas que ilustrem o oposto.
 
É por isso que devemos escolher cuidadosamente as pessoas com quem privamos, já que é muito importante estar por prazer, estar bem e afastar a negatividade. É positivo reforçarmo-nos com pessoas com interesses e valores comuns. Imagine o leitor na alegria que é estar numa festa com pessoas que estão ali pelos mesmos motivos…
 
Agora imagine o contrário, o leitor estar num local e só ouve lamentações e pensamentos destrutivos que se soltam, na maioria das vezes sem pensar ou medir as consequências…
 
Não é por acaso que o bem-estar reside precisamente nas escolhas certeiras que fazemos, tal como é óbvio que gostamos de pertencer a um grupo onde nos sintamos bem, compreendidos e onde se fala a mesma linguagem.
 
É bom termos em conta que as escolhas são pessoais e que não vale a pena andar a lamentar que a pessoa X ou Y é tóxica quando nós nos abeiramos dela. Mais vale distanciarmo-nos de pessoas que nos provocam mau-estar, respeitar que façam também as suas escolhas e que se sintam bem no meio da negatividade. Por outro lado, nós procuramos pessoas positivas e alegres. É fácil agruparmo-nos por afinidades e reduzir o esforço em ter de conviver com pessoas que não nos agradam, basta simplesmente não as incluir no nosso grupo privado!
 
Aos poucos, vamos percebendo que estamos a construir um modelo de vida positivo e que até o que era negativo foi transformado. Se não nos aborrecermos tanto com as diferenças de um colega, até conseguimos encontrar harmonia no local de trabalho. Se não dissermos tudo o que nos passa pela cabeça e da pior forma, teremos mais pessoas em nosso redor, se conseguirmos ouvir o outro, teremos mais gente que nos ouça e daí por diante.
 
Não podemos é desistir de ter esta perspetiva de que podemos sempre melhorar-nos. Para terminar, a receita para se sentir melhor envolve esforço, determinação e tempo, por isso, não queira fazer tudo ao mesmo tempo, muito menos acreditar que isso não implica um esforço diário da sua parte. Dedique um tempo diário a si mesmo e a organizar o pensamento e verá que a vida ganha um novo sentido, mais sorte e facilidades porque se sente bem, porque aproveita os momentos de bem-estar, porque está rodeado de melhores pessoas.
 
Fátima Fernandes
 
COMENTÁRIOS
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(86726)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(36578)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(17200)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(13161)

Não podemos viver sem amor

(11643)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(10213)

A mentira: um mal necessário

(8779)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(8583)

Idade não traduz maturidade

(8291)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(7865)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(7821)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(7053)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5344)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5333)

É Demissexual?

(5026)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(4995)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(4795)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4408)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4354)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4311)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(4308)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4155)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(4150)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4134)

A “ciência” do aperto de mão

(4104)

O poder das ervas aromáticas

(4086)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(3940)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(3900)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(3834)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(3791)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(3777)

A família é a base do sucesso escolar

(3773)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(3772)

Descubra “o poder curativo” da praia

(3728)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(3716)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(3712)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(3709)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(3687)

Oito “segredos” para ser bom pai

(3614)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3563)

O que muda na mulher aos 40?

(3561)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3524)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3430)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3337)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3310)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3284)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3274)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3250)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3237)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3235)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
António Miguel Pina responde a comunicado da União de Freguesias de Moncarapacho e Fuseta

António Miguel Pina responde a comunicado da União de Freguesias de Moncarapacho e Fuseta

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
 Réveillon de Faro ao som dos “Melomeno Rítmica” e dos DJs “Bubba Brothers”

Réveillon de Faro ao som dos “Melomeno Rítmica” e dos DJs “Bubba Brothers”

ver mais
 
Município de Loulé e ARS Algarve esclarecem utentes da Extensão de Saúde de Boliqueime

Município de Loulé e ARS Algarve esclarecem utentes da Extensão de Saúde de Boliqueime

ver mais
 
"Novo" Parque de Campismo da Praia de Faro já tem regulamento aprovado

"Novo" Parque de Campismo da Praia de Faro já tem regulamento aprovado

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio