Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Sabe como funciona o ciclo da violência doméstica?
Imprimir Partilhar por email
A pessoa que não é vítima de violência doméstica sente muita dificuldade em compreender a razão pela qual a pessoa agredida regressa, na maior parte das vezes, aos braços do agressor.
 
Tal acontece porque o agressor usa um conjunto de requisitos que fazem com que a vítima tenha muita dificuldade em se libertar dele e da situação. É criada uma situação de dependência de tal ordem que vítima e agressor parecem estar sempre ligados. Para inverter esta tendência, a vítima tem de compreender aquilo de que é alvo e ser devidamente acompanhada por profissionais. A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima dispõe de técnicos com conhecimento vasto e específico à altura de ajudar estas pessoas que precisam urgentemente de se libertar deste ciclo. Para pedir ajuda é fundamental que a vítima compreenda que o ciclo se repete infinitas vezes e que não haverá o cumprimento de mudança comportamental prometida pelo agressor. É com essa tomada de consciência que a pessoa agredida pede apoio e se afasta definitivamente do agressor.
 
É pela enorme dificuldade que a vítima sente em se libertar da chantagem do agressor que promete sempre que vai mudar, que é preciso “meter a colher” quando se assiste a um cenário de violência, seja ele qual for, pois o padrão do agressor é sempre o mesmo, seja com a mulher, com os idosos ou com os filhos. É preciso que as pessoas em redor destes cenários também reajam para que se possa colocar um fim neste ciclo.
 
Para que não existam dúvidas de como o processo funciona, recorremos à APAV com vista a suportar a informação relativa ao Ciclo de Violência Doméstica.
 
Segundo esta associação de apoio à vítima, «a violência doméstica funciona como um sistema circular – o chamado Ciclo da Violência Doméstica – que apresenta, regra geral, três fases:
 
1. Aumento de tensão: as tensões acumuladas no quotidiano, as injúrias e as ameaças tecidas pelo agressor, criam, na vítima, uma sensação de perigo eminente.
 
2. Ataque violento: o agressor maltrata física e psicológicamente a vítima; estes maus-tratos tendem a escalar na sua frequência e intensidade.
 
3. Lua-de-mel: o agressor envolve agora a vítima de carinho e atenções, desculpando-se pelas agressões e prometendo mudar (nunca mais voltará a exercer violência)».
 
De acordo com a mesma fonte, «este ciclo caracteriza-se pela sua continuidade no tempo», isto é, «pela sua repetição sucessiva ao longo de meses ou anos», podendo ser cada vez menores as fases da tensão e de apaziguamento «e cada vez mais intensa a fase do ataque violento». Usualmente este padrão de interacção termina onde antes começou. «Em situações limite, o culminar destes episódios poderá ser o homicídio», resume a APAV.
 
Fátima Fernandes
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(87381)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(37134)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(19176)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(13980)

Não podemos viver sem amor

(11986)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(10983)

A mentira: um mal necessário

(9146)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(9041)

Idade não traduz maturidade

(8825)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(8328)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(8277)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(8005)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(6795)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5713)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5595)

É Demissexual?

(5342)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(5292)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(5141)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(5096)

A “ciência” do aperto de mão

(4711)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4705)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4664)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4647)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4522)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4471)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(4456)

O poder das ervas aromáticas

(4426)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(4337)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(4236)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(4222)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(4166)

A família é a base do sucesso escolar

(4122)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(4050)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(4044)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(4042)

Descubra “o poder curativo” da praia

(4017)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(4016)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(4006)

Oito “segredos” para ser bom pai

(3989)

O que muda na mulher aos 40?

(3942)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3841)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3815)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3735)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3635)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3631)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3617)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3608)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3549)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3526)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3524)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Covid.19: 4º óbito no Algarve registado no Hospital de Portimão

Covid.19: 4º óbito no Algarve registado no Hospital de Portimão

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Há 16 profissionais de saúde infetados no Algarve

Há 16 profissionais de saúde infetados no Algarve

ver mais
 
Município de Silves prorroga encerramento dos serviços e suspensão de prazos processuais

Município de Silves prorroga encerramento dos serviços e suspensão de prazos processuais

ver mais
 
Comércio de Albufeira não vai pagar taxas de publicidade nos próximos três meses

Comércio de Albufeira não vai pagar taxas de publicidade nos próximos três meses

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Click Saúde» Desporto» Economia
» Política» Figuras da nossa Terra» Fichas de Leitura» CX de Correio