Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Saiba como lidar com a “superioridade ilusória”
Imprimir Partilhar por email
Muitas pessoas vivem num estado de superioridade ilusória considerando que são melhores que as outras, seja em termos pessoais, profissionais ou sociais.
 
Na sua ilusão, acreditam que os outros estão sempre numa posição inferior e que são elas quem têm todo o conhecimento e as melhores qualidades para darem resposta aos mais variados desafios.
 
Estas pessoas são consideradas pela ciência como “os incompetentes que se acham mais que os outros” e isso começa logo na escola e, por norma, prolonga-se pela vida fora. Atenção que isto não é autoestima, mas sim algo mais próximo do egocentrismo.
 
Trata-se do efeito Dunning-Kruger, o psicólogo que descreveu pela primeira vez as pessoas que falam acerca de tudo, mas sem terem os conhecimentos suficientes para isso.
 
Estas pessoas acreditam que são os melhores condutores, os mais engraçados num grupo, os que mais cativam a atenção dos outros, as que sabem falar mais e melhor e daí por diante.
 
O efeito Dunning-Kruger refere-se precisamente a pessoas que tendem “a super estimar as suas aptidões sociais e intelectuais”.
 
David Dunning, foi um dos psicólogos que deu o nome a essa “superioridade ilusória” num estudo publicado em 1999.
 
Para este especialista, “essa crença é tão difícil de evitar que chega a transgredir as leis da matemática”. Por exemplo, “quando os pesquisadores pediram que engenheiros de software qualificassem o seu próprio trabalho, mais de 30% disseram fazer parte dos 5% melhores da empresa”.
 
Segundo outro estudo, 88% dos motoristas norte-americanos afirmam conduzir melhor que a média.
 
De acordo com o mesmo autor, “os que mais tendem a ter melhor ideia sobre si mesmos são, exatamente, os menos capacitados: quanto menos sabemos sobre um tema, mais tendemos a achar que sabemos o suficiente”.
 
Por outro lado, “os especialistas tendem a subvalorizar ligeiramente as suas aptidões”.
 
Os mais ignorantes julgam saber quase tanto quanto os entendidos, daí viverem essa superioridade ilusória.
 
Certamente, não podemos dizer que os que mais falam são sempre os que menos sabem. Mas é muito difícil não cometer esse erro às vezes. “Não se trata de resultados isolados. Tendemos a super estimar em todas as áreas, incluindo a saúde, a capacidade de liderança e a ética”.
 
Dunning explica num artigo publicado na revista Pacific Standard, que as pessoas menos qualificadas num setor nem sequer têm a experiência necessária para saber o que estão fazer de forma incorreta, isto porque, uma mente ignorante não é vazia, e sim repleta de ideias preconcebidas, experiências, factos, intuições, visões e pressentimentos, além de conceitos que importamos de outras áreas do conhecimento”.
 
Neste sentido, “construímos histórias e teorias que nos dão a impressão de serem um conhecimento confiável, mas que se afastam da realidade”.
 
O autor acrescenta que, “de facto, confiamos nelas: um estudo da Universidade Yale mostrou que a maioria das pessoas não sabe quase nada sobre nanotecnologia. Isso é normal. O que não é tão normal é que quase ninguém hesitava em opinar sobre os benefícios dessa tecnologia e se os mesmos compensavam os riscos”.
 
Dunning disse que,  “desconhecemos os limites de nossa incompetência, não a dos outros. A graça então não é identificar as vítimas desse erro, e sim levar em conta que é muito provável que nós o estejamos a cometer em algum aspecto de nossas vidas, sem nem ao menos saber!” afirma o autor, acrescentando que, “não se trata apenas de jogar xadrez pior do que pensamos. Ou de expressar, por algum motivo, opiniões muito veementes sobre a nanotecnologia. Na verdade, esse efeito pode ser muito perigoso”.
 
Dunning recorda que “a bolha financeira de 2008 foi causada pelas maquinações feitas pelos operadores financeiros e a ignorância dos consumidores”. Segundo um estudo de 2012, 23% dos norte-americanos entrevistados que tinham declarado falência, deram a si mesmos a nota máxima em conhecimentos de finanças.
 
Estes resultados ilustram muito bem a superioridade ilusória de muitas mentes, já que, mesmo em situação de decadência, as pessoas acham que são o máximo e que o erro não foi eu. É nesta dimensão que o autor se refere ao perigo deste efeito que é basicamente a pessoa não ter consciência dos seus limites e das suas imperfeições e querer “sair sempre por cima”, sem se preocupar em corrigir e melhorar o que falhou para não repetir o mesmo erro.
 
Fátima Fernandes
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(87370)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(37125)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(19145)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(13965)

Não podemos viver sem amor

(11980)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(10977)

A mentira: um mal necessário

(9141)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(9033)

Idade não traduz maturidade

(8816)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(8322)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(8274)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(7995)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(6783)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(5708)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5593)

É Demissexual?

(5336)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(5287)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(5127)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(5093)

A “ciência” do aperto de mão

(4703)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(4702)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4659)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4643)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4517)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4466)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(4448)

O poder das ervas aromáticas

(4423)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(4329)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(4228)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(4215)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(4162)

A família é a base do sucesso escolar

(4117)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(4046)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(4039)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(4037)

Descubra “o poder curativo” da praia

(4014)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(4013)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(4003)

Oito “segredos” para ser bom pai

(3984)

O que muda na mulher aos 40?

(3938)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(3836)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(3811)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(3730)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(3632)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3626)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3614)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3604)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3545)

A inveja: um ponto contra a auto-estima

(3522)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3518)
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Município de Lagoa aprova medidas especiais de apoio às famílias, às empresas e ao terceiro setor

Município de Lagoa aprova medidas especiais de apoio às famílias, às empresas e ao terceiro setor

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Portugal regista 9034 infetados:Algarve com mais 21 em 24 horas

Portugal regista 9034 infetados:Algarve com mais 21 em 24 horas

ver mais
 
Vila do Bispo:Mulher cospe para militares da GNR e disse que estava infetada

Vila do Bispo:Mulher cospe para militares da GNR e disse que estava infetada

ver mais
 
21 trabalhadores agrícolas em Tavira poderão estar infetados com o novo cornavírus

21 trabalhadores agrícolas em Tavira poderão estar infetados com o novo cornavírus

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Click Saúde» Desporto» Economia
» Política» Figuras da nossa Terra» Fichas de Leitura» CX de Correio