Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Saiba como lidar com o medo
Imprimir Partilhar por email
O medo é algo que nos acompanha desde que tomamos consciência dos nossos limites. É observável e pode ser controlado através de várias técnicas.
 
De acordo com os especialistas, “o medo é uma sensação que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente”.
 
O medo pode ser medido numa escala, sendo que, o pavor é o ênfase dessa sensação negativa e assustadora.
 
É também uma reação obtida a partir do contacto com algum estímulo físico ou mental (interpretação, imaginação, crença) que gera uma resposta de alerta no organismo. 
 
Esta reação inicial dispara uma resposta fisiológica, sendo possível observar que alguém está com medo ou a própria pessoa perceber que está assustada com algo.
 
A resposta anterior ao medo é conhecida por ansiedade. Na ansiedade o indivíduo teme antecipadamente o encontro com a situação ou objeto que possa lhe causar algum mal. Sendo assim, é possível se traçar uma escala de graus de medo, no qual, o máximo seria o pavor e, o mínimo, uma leve ansiedade.
 
O medo pode transformar-se em doença geralmente definida como fobia. Tal ocorre quando as sensações negativas passam a comprometer as relações sociais e a causar sofrimento psicológico.
 
A técnica mais utilizada pelos psicólogos para tratar o medo designa-se por Dessensibilização Sistemática. O técnico constrói uma escala de medo, da leve ansiedade até o pavor, e, progressivamente, o paciente vai sendo encorajado a enfrentar o medo. Ao fazer isso o paciente passa, gradualmente, por um processo de reestruturação cognitiva em que ocorre uma reaprendizagem, ou ressignificação, da reação que anteriormente gerava a resposta de alerta no organismo para uma reação mais equilibrada.
 
Partindo do pressuposto de que o medo nos acompanha desde que nascemos, existem situações que registamos na infância e que nos podem perseguir pela vida fora e outras que vamos contraindo nas mais variadas situações em que nos sentimos mais expostos a essa sensação.
 
Nessa medida, podemos afirmar que todos sentimos medo de algo, nem que seja de falhar numa determinada situação importante.
 
O medo é pois, uma adaptação psicológica que experimentamos desde o início da evolução e, em grande medida, serviu para que o ser humano avançasse e evoluísse.
 
O medo pode ser um importante obstáculo para o nosso crescimento e para progredir na vida, pelo que devemos aprender a enfrentá-lo.
 
Quando permitimos que o medo nos detenha, podemos ficar paralisados durante muito tempo e, sem querer, deixarmos escapar oportunidades e os nossos objetivos, pelo que, quando não se consegue vencer sozinho, é fundamental pedir ajuda para superar essas sensações que se tornam cada vez mais incapacitantes no dia a dia.
 
Existem duas formas de medo, o racional e o irracional, sendo imperioso identificar aquilo que nos provoca medo para depois podermos passar à fase seguinte.
 
O medo racional é o que realmente existe e nos coloca em perigo. Conduzir em excesso de velocidade, medo de um animal feroz e daí por diante.
 
O medo irracional é aquele que nasce de alguma situação ou objeto que, na realidade, não nos pode causar prejuízo. Temos como exemplo, o medo do escuro em que não existe uma situação real, mas sim uma interpretação.
 
O primeiro passo é tomar consciência do medo e da razão pela qual o mesmo nos causa mau-estar. Seja racional ou irracional, o medo tem de ser enfrentado, sob pena de nos comprometer a qualidade de vida. É muito mais fácil lidar com situações concretas do que abstratas, pelo que devemos racionalizar os medos para poder intervir.
 
Em muitos casos, o sujeito não consegue fazer este processo sozinho, pelo que tem de recorrer ao apoio de um profissional em psicoterapia.
 
O medo racional pode ser combatido com algumas medidas de precaução, enquanto que o medo irracional requer uma análise ou uma introspecção profunda – já que pode tratar-se de uma fobia ou um transtorno psicológico que, em geral, requer uma consulta com um especialista.
 
O passo seguinte é mesmo enfrentar a situação que lhe causa medo. Chama-se a si enfrentar o medo para poder ultrapassá-lo. O sujeito precisa de ver que não existe um perigo real e que pode realizar a sua vida tranquilamente, mas só o consegue passando pela situação e fazendo esta constatação. Combater o medo é colocar-se à prova e testar os seus limites as vezes que forem necessárias até que isso deixe de ser um impedimento para a sua qualidade de vida.
 
Fátima Fernandes
 
COMENTÁRIOS
 
PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Homem atacado por cão na Praia de Faro

Homem atacado por cão na Praia de Faro

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
II Liga:Farense perde com o Académico de Viseu

II Liga:Farense perde com o Académico de Viseu

ver mais
 
Concerto inédito em Querença

Concerto inédito em Querença

ver mais
 
Bloco de Esquerda pede Declaração de Estado de Emergência Climática no Município de Faro

Bloco de Esquerda pede Declaração de Estado de Emergência Climática no Município de Faro

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio