Economia

Sindicato da Hotelaria do Algarve avança com abaixo-assinado para a valorização das tabelas salariais

A Direção do Sindicato da Hotelaria do Algarve decidiu, na sua reunião realizada ontem, avançar com um abaixo-assinado regional para exigir o aumento dos salários e a melhoria das condições de trabalho.

 
Segundo os sindicalistas, a Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve "bloqueou as negociações" que estavam em curso para a celebração de um Contrato Colectivo de Trabalho e a Associação dos Industriais Hoteleiros e Similares do Algarve, embora aceite reunir, diz que só está disponível para dar um aumento que para a maioria dos trabalhadores, tendo em conta a fixação do Salário Minímo Nacional nos 635 euros, "não chegaria a 1 euro/dia, depois de vários anos de congelamento e redução dos salários e agravamento das condições de trabalho".
 
A Direção do Sindicato da Hotelaria do Algarve estima que se as tabelas salariais não valorizarem os salários, "de forma mais justa", mais de 50% dos trabalhadores do setor fica em 2020, a receber o Salário Mínimo Nacional.
 
O Sindicato lembra que se trata de um setor que "continua a acumular milhões e milhões de euros mas que está a empobrecer a maioria daqueles que se esforçam todos os dias para dar o melhor de si, para que o cliente fique satisfeito com o serviço prestado".
 
Nesse sentido irá levar o abaixo-assinado a toda a região nas próximas semanas, para recolher o máximo de assinaturas possível, apelando aos trabalhadores para o subscreverem de forma "massiva" para demonstrarem o seu descontentamento e exigirem ao Governo e aos patrões a melhoria das condições de trabalho e de vida.