Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 
Vamos aprender a gerir as emoções?
Imprimir Partilhar por email
Muitas pessoas partem do princípio de que não é possível gerir as emoções pelo facto de termos muitas ao mesmo tempo e, por ser aquilo que de mais genuíno possuímos, mas não é exatamente verdade. Na realidade, deveríamos crescer a aprender a gerir e a identificar as nossas emoções para que a nossa vida fosse mais facilidade, livre e feliz, mas para quem não teve essa sorte, saiba que é sempre possível encetar o processo, em qualquer fase de vida.
 
É imperioso ter em conta que, quanto mais formos capazes de identificar as nossas emoções, mais seremos capazes de geri-las e, ao mesmo tempo, aumentar as nossas oportunidades de realização pessoal e profissional.
 
Saber como reagimos frente a estímulos que nos rodeiam e saber calibrar a quantidade de respostas emocionais necessárias, vai ajudar-nos a não gastar a nossa força e energia de forma inadequada. Por exemplo, se ficar com raiva com muita intensidade com algum desconhecido, a quem provavelmente nunca mais voltará a ver, estará a gastar uma energia valiosa de forma pouco produtiva e, ainda por cima, essa sensação de descontentamento irá prolongar-se no tempo muito mais do que seria razoável.
 
Segundo os especialistas da Mente é Maravilhosa, “um número considerável de pessoas pensa que as emoções não são controláveis, que simplesmente surgem e nos inundam”. Sentimos medo ou amor e não sabemos como nem porquê e, o que é ainda pior, não nos propomos compreender e gerir estes sentimentos. Esta visão não corresponde à realidade, sublinham os mesmos entendidos acrescentando que, podemos aprender diariamente a gerir as nossas emoções com treino e autoconhecimento.
 
Se aprofundarmos o tema, vamos perceber que é possível identificar as emoções e melhor aprender a geri-las. O essencial é identificar claramente o que estamos a sentir. Os especialistas relatam que, “às vezes, confundimos os sentimentos; poderíamos pensar que alguém está com raiva, quando realmente está preocupado e, esta confusão pode produzir graves consequências nas nossas relações interpessoais”. Para poder distinguir os sentimentos, precisamos primeiro conhecê-los e identificá-los em nós mesmos, para depois sermos capazes de fazer o mesmo com os outros, sublinham os entendidos na matéria.
 
É necessário saber quem são e parar para averiguar o que sentimos no momento, respondendo à pergunta: O que estou a sentir exatamente? Ira, raiva, descontentamento…?
 
Assim, a primeira fase para poder gerir a emoção será identificada. É fácil reconhecer emoções, já que as vemos refletidas nos outros. O que as torna complexas é o facto de que costumam surgir várias emoções ao mesmo tempo.
 
Poderíamos dizer: “sinto-me feliz”, mas o que realmente quero dizer? Se conseguir apurar aquilo que realmente estou a sentir, mais facilmente serei capaz de procurar uma situação que me ajude a mudar esse estado e, ao mesmo tempo, melhor me vou preparando para identificar também as emoções nas outras pessoas.
 
É essencial que cada um de nós, saiba responder a estas perguntas dentro de si mesmo: porque razão estou triste?, estou contente, porquê? Qual a razão pela qual me sinto envergonhada? Estou com ciúmes de quê?, já que esta consciência nos vai ajudar a sermos melhores pessoas para nós próprios e para os outros. Ao sabermos aquilo que nos afeta, não descarregamos a nossa parte mais negativa sobre os outros, simplesmente pensamos numa alternativa e, quando não podemos mudar algo, aprendemos a aceitar que é assim.
 
Quando souber as suas próprias respostas, poderá aprofundar, analisar e tomar decisões a seu respeito. Separar e identificar as emoções permite-nos saber o que sentimos, aprender a nos conhecermos melhor e, a partir daí, enfrentar de forma mais eficaz os nossos desafios, sublinha a Mente é Maravilhosa.
 
Fátima Fernandes
 
50 dicas mais lidas

Educação: o que não se deve (de forma alguma) fazer a uma criança

(88059)

Pais são responsáveis pelo mau comportamento dos filhos

(37664)

Há pessoas que (só) falam mal dos outros. Saiba porquê.

(21532)

Sabe o que é Síndrome de Húbris? É a doença do poder!

(15320)

Não podemos viver sem amor

(12422)

O que se esconde atrás da traição feminina?

(11578)

A mentira: um mal necessário

(9721)

Idade não traduz maturidade

(9575)

As pessoas tristes são as mais egoístas!

(9508)

“Bom português”:sabe como/quando utilizar ás, às e hás?

(9002)

Educação: orientar as crianças para a maturidade emocional

(8714)

Afinal, há sexo no local de trabalho! – estudo mostra realidade desconhecida

(8707)

Os principais erros que os pais cometem com os filhos adolescentes

(7384)

Ignorância: a maior doença da Humanidade

(6477)

Afinal, os amigos não são para sempre!

(6070)

Vamos ler os rótulos dos alimentos?

(5821)

É Demissexual?

(5645)

Mulheres só descobriram prazer sexual na década de 80

(5548)

“Bom português”: sabe utilizar a vírgula?

(5502)

“Os pais não são ‘os amigos’ dos filhos”

(5436)

A “ciência” do aperto de mão

(5324)

Abraços melhoram a memória e o bem-estar físico

(5064)

Casais juntos 24 horas por dia – mais risco de desgaste?

(4979)

Violência doméstica: a família tem de re(agir)

(4941)

O poder das ervas aromáticas

(4917)

Vamos fazer a leitura dos pés?

(4900)

Amor:Como ultrapassar a “crise dos 7 anos”?

(4851)

Os filhos precisam de mais tempo dos pais!

(4739)

Rejeição dos pais deixa marcas para a vida

(4674)

Há cada vez mais pais com medo dos filhos. Porquê?

(4608)

“Ou mudamos a educação ou o mundo vai afundar” – Claudio Naranjo

(4576)

A família é a base do sucesso escolar

(4523)

Beleza não é sinónimo de felicidade - estudo

(4415)

Escola: o que não se deve dizer/fazer aos filhos

(4413)

O que muda na mulher aos 40?

(4410)

Oito “segredos” para ser bom pai

(4373)

Descubra “o poder curativo” da praia

(4324)

Portugal: o país onde as crianças são “únicas e especiais”

(4311)

Ansiedade: o problema psiquiátrico da atualidade

(4289)

Descubra os “segredos” das pessoas mais felizes do mundo

(4248)

“Ser fixe” na adolescência é sinal de alerta para o futuro

(4172)

Desenho: uma forma de expressão essencial ao desenvolvimento

(4132)

“Crianças que não brincam, ficam doentes” – Mário Cordeiro

(4087)

Pais inseguros “desenvolvem” filhos instáveis

(4009)

“Discussões fazem mal à saúde”

(3990)

Falta de empatia: a maior doença da humanidade

(3959)

Como estimular a inteligência nos bebés

(3925)

Está a preparar o seu filho para o mundo?

(3877)

A mudança interior aumenta a esperança de vida

(3861)

O que uma criança deve saber aos 4 anos de idade?

(3842)
PUB
 
MAIS LIDA AGORA
Faro:Jovens franceses queixam-se de agressão "violenta" da PSP

Faro:Jovens franceses queixam-se de agressão "violenta" da PSP

ver mais
 
 
  
PUB
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
GNR detém em flagrante quatro indivíduos a assaltar interior de veículo em Boliqueime

GNR detém em flagrante quatro indivíduos a assaltar interior de veículo em Boliqueime

ver mais
 
Autoridades identificam alegada autora de falso alarme sobre criança atirada ao mar em Portimão

Autoridades identificam alegada autora de falso alarme sobre criança atirada ao mar em Portimão

ver mais
 
Faro:Jovens franceses queixam-se de agressão "violenta" da PSP

Faro:Jovens franceses queixam-se de agressão "violenta" da PSP

ver mais
 
 
 
 
Alô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Click Saúde» Desporto» Economia
» Política» Figuras da nossa Terra» Fichas de Leitura» CX de Correio