Periodicidade: Diária | siga-nos | seja fã
PUB
 

Como estimular a inteligência nos bebés

Imprimir Partilhar por email
17-08-2013 - 22:59
No passado, acreditava-se que, só mais tardiamente é que os bebés poderiam fazer aquisições e manifestar conhecimentos.
 
Com os muitos estudos que têm sido realizados, verifica-se que, a partir da barriga da mãe, os bebés devem ser estimulados e que não é um disparate os pais falarem com o feto mesmo à distância da gestação, uma vez que ele irá reter essas informações e revelá-las à posteriori. 
 
Quer isto dizer que, a partir do quinto mês de gestação, o feto começa o ouvir sons e a identificar a voz dos pais, o que vai facilitar a tarefa quando estiver cá fora. 
 
Muitas mães experimentaram contar pequenas histórias, colocar música e, após o nascimento verificaram que o bebé ficava mais calmo ao ouvir esses sons, o que comprova que, efectivamente o processo de aprendizagem e de construção da inteligência começa mais cedo do que se pensava. 
 
Se é verdade que nenhum indivíduo se recorda do momento do parto, também é certo que o conhecimento é uma aprendizagem contínua que se inicia na barriga e se prolonga ao longo da vida. 
 
Segundo Piaget, o desenvolvimento cognitivo em crianças recém-nascidas ocorre de forma contínua desde os primeiros dias de vida. No início, a criança ainda não representa internamente e não "pensa" conceptualmente, pelo que, o seu pensamento é constituído pelas sensações (sensório) e movimentos (motor), ou seja, descobre as propriedades dos objectos do seu ambiente manipulando-os. 
 
Piaget descreveu vários estágios do desenvolvimento e de acordo com as suas teorias, cada estágio é constituído sobre as estruturas do anterior o que significa que cada etapa superada é uma preparação para o estágio seguinte. Assim, a criança necessita de estimulação visual, auditiva e táctil para que a sua inteligência se desenvolva. 
 
Por esses motivos é muito importante ensinar, estimular e incentivar a criança desde o primeiro dia de vida. Dessa forma, haverá um crescimento intelectual e um maior contacto com o mundo em seu redor. 
 
De facto, as pesquisas realizadas nas últimas 3 décadas provam que a capacidade de aprendizagem dos bebés é muito maior do que se imaginava, e que gerando estímulos no momento certo, os pais podem contribuir para desenvolver a inteligência do seu filho. 
 
De acordo com Meltzoff, a máquina de absorção de conhecimento dos bebés começa a funcionar nos primeiros dias de vida, o que significa que os bebés são capazes de identificar a voz da mãe e, seguidamente a do pai e as de outras pessoas com quem conviva regularmente. 
 
Além de aprender rapidamente a distinguir a voz humana de outros sons, o bebé, em poucos dias também reconhece o rosto dos pais e demais familiares. Antes dos sete meses, é capaz de fazer a distinção entre a sua língua materna e um idioma estrangeiro. 
 
Assim, todo o empenho em estimular o bebé é eficaz e interessante, na medida em que se está a dar o ponto de partida para um processo que vai decorrer ao longo de toda a vida. 
 
Ao mesmo tempo, também é de referir que, a aprendizagem também depende do afecto, uma vez que faz toda a diferença se a mãe conversa com carinho com o bebé e se o trata como um ser inteligente, pois essa é a base para desenvolver capacidades. 
 
Para finalizar, deixamos-lhe alguns truques que o podem ajudar a estimular o seu filho: 
Tudo começa durante a gravidez em que a mãe deve conversar com o bebé, contar-lhe histórias e apresentar-lhe os mais variados sons. A presença do pai é de tal forma importante que, é ao ouvi-lo que o bebé vai reconhecer o pai mais tarde. 
 
Curiosamente, está provado que os bebés se acalmam quando ouvem e reconhecem a voz dos pais. Depois do nascimento e, até aos 3 meses, mediante o choro, os pais devem demonstrar a sua presença. Antes de lhe tocar, devem falar com o bebé e dizer-lhe que estão ali perto dele. 
 
Massajá-lo desenvolve o tacto e a capacidade afectiva. 
 
Usar brinquedos como mobile e dar objectos de cores vibrantes que o bebé possa agarrar é outro aspecto importante. 
 
Dos 3 aos 6 meses, o bebé já segue os objectos com o olhar, pelo que, brincadeiras do tipo "escondeu e encontrou" ajudam-no a controlar os sentimentos de tristeza pela perda e de alegria por reencontrar o objecto, o que será desenvolvido posteriormente. Os pais devem conversar com o bebé com bastante frequência e, aos poucos vão verificando a sua necessidade de retribuir. 
 
Dos 6 aos 12 meses, é a fase em que a área da linguagem está no seu momento chave. A partir do sexto mês, o bebé mostra firmeza para se sentar e os pais devem estimulá-lo a engatinhar. Devem ajudá-lo também a reconhecer sons, odores e sensações táteis. 
 
Dos 12 aos 18 meses, é a fase em que o bebé começa a andar e a pronunciar as primeiras palavras, pelo que, os pais devem estimulá-lo a usar a linguagem e desenvolver a sua coordenação motora. 
 
Dos 18 aos 36 meses, os pais podem utilizar cartolinas para familiarizar a criança com as palavras e com os números e facilitar o processo de aprendizagem formal que se vai seguir na próxima fase. 
 
Dos 3 aos 6 anos, a criança é capaz de entender notas musicais e deve brincar com instrumentos simples, como uma flauta. É um bom momento para que se comece a familiarizar com uma língua estrangeira. 
 
Refira-se que, da gestação até aos seis anos de idade, a mente do indivíduo está no seu melhor momento para assimilar novas informações. Quanto mais os pais conversarem com a criança e propiciarem uma estimulação adequada, melhor será para o seu futuro.
 
 
COMENTÁRIOS
 
MAIS NOTÍCIAS
-

Já decorou a sua casa para o Outono?



-

Saiba como identificar um psicopata em 5 passos



-

Por que é que só amadurecemos a partir dos 40 anos?



-

Quer melhorar a autoestima? Saiba o que não deve fazer



-

Organização:a chave do sucesso



PUB
 
MAIS LIDA ONTEM
Ministro Eduardo Cabrita em Faro esta terça-feira com três Secretários de Estado

Ministro Eduardo Cabrita em Faro esta terça-feira com três Secretários de Estado

ver mais
 
 
  
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Manuel Palma apresentou a sua mais recente obra em Castro Marim

Manuel Palma apresentou a sua mais recente obra em Castro Marim

ver mais
 
CDU propõe que Assembleia Municipal de Olhão discuta a não aceitação da transferência de competências

CDU propõe que Assembleia Municipal de Olhão discuta a não aceitação da transferência de competências

ver mais
 
Portimão recebe três produções com o selo do Teatro Nacional D. Maria II

Portimão recebe três produções com o selo do Teatro Nacional D. Maria II

ver mais
 
 
 
 
Allô Pizza Escola de Condução C.C.S Loja das Taças Restaurante Os Arcos
» Sociedade» Fichas de Leitura» Desporto» Click Saúde
» Economia» Figuras da nossa Terra» Política» CX de Correio