Economia

Grupo Águas de Portugal com energia 100% renovável em 2030

O Grupo AdP – Águas de Portugal, onde se integra a Águas do Algarve, está a implementar um programa integrado que visa reduzir os consumos energéticos e aumentar fortemente a produção própria de energia 100% renovável, permitindo atingir a neutralidade energética em 2030.

 
O Grupo AdP – Águas de Portugal apresentou esta quarta-feira o seu Programa de Neutralidade Energética ZERO, numa sessão que contou com a participação do Ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, da Secretária de Estado do Ambiente, Inês dos Santos Costa, e do Secretário de Estado Adjunto e da Energia, João Galamba.
 
O Programa ZERO prevê que o Grupo AdP atinja a neutralidade energética no prazo de 10 anos, assente numa estratégia continuada de redução de consumos e de aumento da produção própria de energia 100% renovável. Este projeto permitirá ainda que se posicione como o primeiro grupo de dimensão internacional a atingir a neutralidade energética em todas as suas atividades nacionais e internacionais a nível mundial.
 
Sendo o maior consumidor público de energia elétrica em Portugal, com consumos da rede superiores a 725,1 GWh/ano em 2019, mais de 1,4% do consumo de energia elétrica no País, o Grupo prevê um investimento total de cerca de 370 milhões de euros, sendo expectável que o projeto agora anunciado, neutralize o equivalente a 746 GWh – o correspondente ao consumo energético estimado para 2030 - representando uma neutralidade energética de 105,3% e uma neutralidade carbónica equivalente. 
 
Em 2030, o Programa espera eliminar cerca de 205 ton/ano de emissões de CO2.
 
No que respeita ao biogás, está previsto um crescimento de 48,3 GWh/ano (+ 163,2% face a 2019); ao iniciar-se a produção de energia de fonte eólica, com a instalação de 48 torres eólicas, estima-se uma produção de 115,9 GWh/ano; o aumento da produção de energia hídrica será obtido através da instalação de 38 hídricas com uma potência total de 6,9 MW, estimando uma produção de 45,0 GWh/ano (face aos 90,5 MWh produzidos em 2018); no solar fotovoltaico, é previsto um crescimento exponencial na produção (de 4,1 GWh para cerca de 478 GWh) com a instalação de centrais que produzirão um valor médio de 353 GWh/ano no primeiro ano de exploração, e a instalação de painéis solares flutuantes em 25 albufeiras, produzindo um valor médio de 125 GWh/ano. A produção de energia a partir do solar representará 70% do aumento da produção total de energia prevista no Programa ZERO.
 
Como medidas de eficiência energética, é objetivo do Grupo reduzir 35,6 GWh/ano nas atividades de abastecimento de água (tratamento e bombagem de água para consumo humano), correspondendo a uma redução de 8,5% dos consumos atuais. No saneamento de águas residuais a poupança estimada é superior a 13%, num valor próximo dos 37,8 GWh/ano. O investimento estimado para as ações de eficiência energética ronda os 39,6 milhões de euros, devendo estar concluído até ao final de 2024.
 
A atividade de abastecimento de água consome cerca de 60% do consumo total de energia do Grupo AdP – 410,3 GWh/ano no ano de 2018 -, enquanto o saneamento de águas residuais, com uma fatia de 40%, consumiu, no ano de 2018, cerca de 284,0 GWh/ano.
 
O Programa ZERO contempla ainda ações no domínio das perdas de água e das afluências indevidas. Contemplando as ações da responsabilidade das entidades gestoras dos sistemas municipais, o investimento total do Programa ZERO ascenderá a 480 milhões de euros, com uma neutralidade equivalente – redução de consumos de energia, compensação do consumo combustíveis e produção própria de energia 100% renovável - de 117,1%.